Entrevista da Semana

Entrevista da semana na Folha Estilo

Ana Luiza Ferraz Viana – Nutricionista Materno Infantil

PERFIL:

– Qual a sua formação profissional? Sou formada em Nutrição, com pós graduação em Nutrição Materno Infantil (atendimento da concepção à adolescência) pelo IPGS e faço atualmente pós graduação em Nutrição Clínica Funcional pela VP Consultoria.

– Em que momento a nutrição entrou na sua vida? Desde a infância, quando fui pela primeira vez a uma nutricionista; a minha mãe se preocupava com essa área. Além disso, todas as vezes que ia à pediatra e ela perguntava e falava alguns itens de alimentação era minha parte preferida. Por um tempo acreditei que gostaria de me tornar pediatra, mas depois entendi que a única parte que gostava de falar sobre a criança era a alimentação. Não tenho o dom de lidar diretamente com a doença, e me sinto muito realizada ao trabalhar com a parte da saúde que atua de forma preventiva, criando hábitos e não precisando refazê-los. Durante a adolescência a nutrição aparecia em meus testes vocacionais, e assim que abriu a primeira turma em Campos pedi permissão aos meus pais para fazer a faculdade mesmo estando cursando o 2º ano do ensino médio. Entrei na faculdade com 16 anos, determinada no que queria. Precisei inclusive de autorização judicial, o que consegui com a ajuda de Tio Ralph, seu marido.

– Fale sobre a área escolhida para atuação. A área materno infantil só cresce com o tempo; no mundo, no Brasil e na cidade. Minha vontade é que tenhamos cada vez mais profissionais capacitados e mais famílias sendo alcançadas. Seria ótimo se todos soubessem a diferença que a nutrição adequada desde a gestação (e até mesmo antes, com qualidade do óvulo e sêmen) faz na vida; diferença esta que vai dos primeiros anos até a vida adulta. Muitas doenças podem ser prevenidas desde a gestação, pois algumas pré disposições podem ser formadas nesse período e possuem impactam a curto e longo prazo. A forma como vivemos hoje, nossos hábitos de alimentação…, tudo isso influencia em nossa saúde e na fertilidade; há casais que possuem essa dificuldade e a má nutrição pode ser um dos muitos fatores que interferem. Durante a gestação, a epigenética (que são os fatores ambientais influenciando na genética) pode interferir em toda vida dessa criança. Os 2 primeiros anos são essenciais para formação de hábitos alimentares. Nossa relação com o alimento começa ainda no útero, quando o bebê ingere o líquido amniótico e sente o gosto do que a mãe consome; essa relação se estende para quando nasce e até mesmo quando, ainda na maternidade, todos comem ao seu redor. O sabor dos alimentos está no leite materno e são fundamentais os primeiros reais contatos físicos da relação alimentar. Nós comemos todos os dias, o dia inteiro; se essa relação não for saudável ela pode afetar muitas outras áreas da vida.

– Existe um momento específico para procurar o nutricionista? O melhor momento para procurar um nutricionista materno infantil é antes da gestação, pois podemos mudar hábitos e fazer a programação metabólica da gestação, potencializando ao máximo o desenvolvimento do futuro bebê. Mas caso isso não tenha sido feito, podemos procurar na gestação para uma alimentação equilibrada, ou próximo ao parto, para aprender sobre amamentação, ou ainda na introdução alimentar da criança. Por fim, o nutricionista pode e deve ser procurado em qualquer momento que houver necessidade.

– Qual o seu maior desafio como nutricionista? Acho que meu maior desafio como nutricionista é separar a Ana Luiza nutricionista da Ana Luiza que as pessoas não conhecem como nutricionista, e separar as duas da relação com os amigos e familiares… porque eu sempre me pego falando da nutrição, e como eu amo minha área (porque sempre amei criança e maternidade), me pego em todos os lugares falando disso às vezes. Sempre tem aquela mãe que me conhece e que dá um jeitinho de chegar até mim e tirar alguma dúvida. Quando chego a algum lugar eu já olho quem são os menores que estão ali e me deixo encantar por sua pureza e sinceridade.

– Como administra o seu dia a dia? 
Minha rotina é sempre diferente em cada dia, mas consigo ser organizada. Tenho um planner onde sempre anoto todas as atividades do mês em um calendário, e durante as semanas tenho uma rotina para cada dia. Por ser profissional autônoma, consigo trabalhar em mais de um lugar. Consigo dividir o consultório, o hospital com terapia nutricional, os pacientes domiciliares de home care e as escolas nas quais trabalho. Toda semana também tenho algum Workshop à noite com mães.

– Quem é Ana Luíza? Me considero uma pessoa essencialmente sonhadora, empática, com muito receio de machucar quem está próximo de mim; sou muito fiel às minhas poucas e verdadeiras amizades; busco tratar todo mundo que convivo com igualdade e tento, quando me surpreendo julgando a atitude do outro, me lembrar que tenho os meus erros e não tenho que medir alguém.

– Fale sobre sua família. Minha família é uma grande família onde o convívio diário ultrapassa a estrutura familiar padrão de pai, mãe e irmão. Convivemos diariamente avó, tios e primos. Isso é muito bom e me faz ter vontade de construir uma família grande também. Namoro há 7 anos, de forma que existe outra família que hoje já considero minha; participaram de muitas etapas da minha vida.

– O que faz nos momentos de folga? Nos momentos de descanso em casa sempre ouço música, vejo filme e conteúdos que gosto no youtube. Faço muita coisa com meu noivo; gosto de sair para restaurante, passear com a nossa cachorra e viajar. Temos amigos em comum e fazemos muitos programas juntos.

BATE-BOLA: 

 
– Não curte – Sentir calor
– Mania – Mexer no cabelo
– Som agradável – Cachoeira
– Futuro – Me casar e construir a minha família 
– Abominável – Maus tratos e abuso de crianças e animais
– Adorável – Empatia
– Miserável – Soberba
– Não faria em você – Tatuagem grande
– Exemplo admirável  – Jesus
– Irresistível – Ter uma viagem com meu noivo
– Doce preferido – Brigadeiro
– Cor preferida – Azul
– Parabéns – Para todas as pessoas que lutam em prol de causas
– Bebida – Suco de laranja
– Alimento preferido – Brócolis
– Maior sofrimento – Perder alguém 
– Se não fosse nutricionista seria… teria uma floricultura
– Dia ou noite – Dia
– O que mais te incomoda nas pessoas – Maldade
– Prato predileto – Macarrão com molho branco
– Palavra que não sai da sua boca – “Entendeu?”
– Detesta – Passar mal
– Religião – Evangélica
– Deus – Só Ele é Deus
– Deixe uma mensagem:. “Tenha sempre bons pensamentos porque os seus pensamentos se transformam em suas palavras. Tenha boas palavras porque as suas palavras se transformam em suas ações. Tenha boas ações porque as suas ações se transformam em seus hábitos. Tenha bons hábitos porque os seus hábitos se transformam em seus valores.

Tenha bons valores  porque os seus valores se transformam no seu próprio destino.”
(Mahatma Ghandi)

 

 Designer: Aldir Mata

Vania Carvalho

Escrito por Vania Carvalho

Campista, caçula de uma família de 9 filhos, casada há 23 anos com o advogado Ralph Pessanha e mãe de Bianca e Bruno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *