Blog da Vânia

Fobias, você tem medo de que?

Fobia é um termo originário do grego Fobos, Deus da mitologia grega que, junto com seu irmão gêmeo Demios, participava das batalhas com seu pai Ares, Deus da guerra. Os dois respectivamente eram responsáveis por espalhar o medo e o pânico durante as batalhas levando as tropas inimigas a fugirem desordenadamente. Na classificação internacional das doenças (CID 10) as fobias específicas fazem parte dos transtornos ansiosos sendo caracterizado por “Grupo de transtornos nos quais uma ansiedade é desencadeada exclusiva ou essencialmente por situações nitidamente determinadas, que não apresentam atualmente nenhum perigo real”. Estas situações são, por esse motivo, evitadas ou suportadas com temor. As preocupações do sujeito podem estar centradas sobre sintomas individuais tais como palpitações, falta de ar, sudorese das extremidades, pupilas dilatadas, vertigens, e por vezes até desmaio, sendo que esses sintomas só ocorrem quando a pessoa é exposta ao objeto ou situação que são fóbicas para ele, o que diferencia do transtorno de pânico.

Como exemplo podemos citar as fobias expostas abaixo:

Medo de altura (acrofobia)
Medo de lugares cheios e multidões (agorafobia)
Medo de aranhas (aracnofobia)
Medo de baratas (catsaridafobia)
Medo de cachorros (cinofobia)
Medo de lugares fechados, como elevadores ou aviões (claustrofobia)
Medo de escuro que persiste após a infância (escotofobia)
Medo de falar em público (glossofobia)
Medo de sangue (hematofobia)
Medo de dentistas (odontofobia)
Medo de locais públicos (agorafobia)
Medo de se manter em ambientes sociais e se sentir observado ( Fobia social ).

O tratamento das fobias é uma combinação de terapia medicamentosa com objetivo de diminuir os sintomas ansiosos. Atualmente usamos os inibidores de recaptação da serotonina ( sertralina, citalopram, escitalopram, paroxetina), e técnicas de terapia cognitivo comportamental que se chama dessensibilização sistemática, que consiste em expor o fóbico sistematicamente (ou seja, de maneira progressiva e controlada) ao objeto temido. No caso de alguém que tenha fobia relativa a um animal começa-se com desenhos, réplicas de brinquedo, e o paciente vai se aproximando dessas figuras, encosta, pega na mão, tudo muito progressivamente, para que ele seja capaz de criar outra relação com esse objeto. Toda resposta de ansiedade tem um pico máximo, que vai se reduzindo naturalmente, e essa é a chave da técnica.

Lembrem -se de sempre buscarem a orientação de um profissional capacitado para o tratamento.
Dr. José Francisco de Assis Neto (CRM 5261634-6)
Médico Psiquiatra
Rua Marquês de Herval, 36 – Parque Tamandaré
Tels (22) 2723-2338 | 99219-6559

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *