Entrevista da Semana

Entrevista da semana na Folha Estilo


Dr. Rafael Crespo – Advogado

Perfil:

– Qual a sua formação profissional? Formei-me em Direto no Centro Universitário Fluminense (antiga Faculdade de Direito de Campos) em 2011. Sou pós-graduado em Direito Processual Civil pela mesma instituição.

– Fale sobre sua área de atuação. Pertenço ao corpo de advogados do escritório Miller Advocacia, o que é motivo de grande orgulho para mim. Como advogado, procuro ser versátil.

Dessa forma, quanto ao Direito Público, milito nas searas do Direito Tributário, com defesas fiscais e recuperação de crédito, e do Direito Administrativo, especialmente em mandados de segurança e ações de improbidade administrativa.

Por outro lado, no que tange ao Direito Privado, atuo em questões ligadas à responsabilidade civil, notadamente ações indenizatórias. Sou professor desde março de 2017.

No Centro Universitário Fluminense, leciono as disciplinas de Direito Processual Civil e Direito Administrativo. Na Universidade Estácio de Sá, lecionei as seguintes matérias: Direito Tributário, Direito Administrativo e Processo Civil.

Além disso, sou professor de um curso preparatório para a prova da OAB: Curso Operação OAB Primeira Fase. Atuo como palestrante, já tendo proferido diversas palestras em Campos e região.

Neste contexto, ressalto que, entre os dias 29 de setembro e 12 de outubro, estarei na Espanha para palestrar na Universidade Complutense de Madri e na Universidade de Burgos sobre Direitos Fundamentais. Por fim, quanto a este ponto, registro que tive o privilégio de ser coautor de dois livros. 

– Como é conciliar a função de Advogado com a de Professor Universitário? Trata-se de um grande desafio, na medida em que ambas as carreiras demandam enorme dedicação e tempo. Não obstante isso, sinto-me privilegiado por poder exercer duas profissões de enorme alcance social.

– O que diria para quem deseja seguir a carreira? Diria que todo o começo é difícil, seja no magistério, seja na advocacia, mas que, com muito estudo e persistência, os obstáculos iniciais sucumbem. 

– Consegue se imaginar em outra profissão? Sou um apaixonado pelo Direito. Assim sendo, só consigo me enxergar em funções que lidem, direta ou indiretamente, com a ciência jurídica. 

– Quem é Rafael? Alguém simples, apaixonado pelo que faz, colecionador de amigos e que busca aprender com a vida. 

– Sua família. Meus pais, Carlos Alberto e Heloisa Helena, são professores e minha irmã Renata Crespo é fisioterapeuta. Falar da minha família, ainda que em poucas linhas, é algo que me emociona profundamente. Isto porque, ao longo dos meus 31 anos de existência, sempre tive apoio integral de todos. Serei eternamente grato.

– O que costuma fazer nos momentos de folga? Tenho uma rotina muito corrida de segunda a sábado, de sorte que tenho pouco tempo de folga. Nesses raros momentos, aproveito para ler um bom livro, ficar um pouco com a minha família e estar com os amigos.

Bate-bola:

– Deixou saudades – minha época de graduação
– Final de semana perfeito – estudando ou viajando para a praia
– Assustador – violência
– Não concorda com… preconceito de qualquer ordem
– Acha chato – superficialidade
– Perda irreparável – meu avô, Hélio Nogueira da Gama
– Comida que sabe fazer – infelizmente não sei cozinhar
– Doce preferido – doce de leite.
– Momento atual – feliz com as conquistas obtidas
– Homem inteligente – Carlos Alberto Machado da Gama
– Mulher estilosa – Ana Luisa Freitas da Silva
– Lugar que adoraria conhecer – Lajatico, Itália
– Não admira quem… é invejoso
– O que não come – comida japonesa
– Não tem perdão – deslealdade
– O que faria diferente – faria mais exercícios físicos
– Nota dez – honestidade
– Nota zero – injustiça
– Time – Flamengo
– Estilo de música – sou bem eclético
– Religião – católico
– Deus – fonte de toda a minha força
– Deixe uma mensagem: Eduardo Galeano, jornalista e escritor uruguaio, possui uma frase que me chama muito atenção e que agora me permito citar: “a utopia está lá no horizonte. Aproximo-me dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar”. Enfim, penso que, na vida, devemos sempre empregar todos os esforços possíveis para realizar nossos sonhos, por mais distantes que eles possam parecer.

Designer; Aldir Mata

Fotos: Fernando Cerqueira

Vania Carvalho

Escrito por Vania Carvalho

Campista, caçula de uma família de 9 filhos, casada há 23 anos com o advogado Ralph Pessanha e mãe de Bianca e Bruno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *