Educação

O CNA e seu diferencial

Hi, there!
Como prometido no post da última semana, vim falar um pouquinho sobre um trabalho muito bonito desenvolvido pelo CNA.

Algum de vocês já pensou em melhorar sua performance no idioma e também a vida de alguém que possa estar precisando companhia? Pois o CNA pensou. A brilhante ideia foi nomeada ‘Speaking Exchange’, que soma mais de 30 prêmios nacionais e internacionais – entre eles, no Festival Cannes Lions 2014 (o principal festival de publicidade e criatividade mundial) – e já faz parte da realidade de diversas escolas CNA pelo Brasil afora.

O projeto teve início a partir da dificuldade que grande parte dos estudantes brasileiros tem em praticar inglês com outras pessoas, principalmente nativos na língua. Ao pensar em como isso podia ser modificado, foi possível unir a ideia de ajudar ao próximo e ainda promover o intercâmbio de experiências entre brasileiros, estudantes de inglês em diferentes idades, e idosos que residem em casas de repouso nos Estados Unidos e Canadá.

Através de uma ferramenta que funciona de maneira semelhante ao Skype, uma chamada de vídeo é realizada e os dois participantes – o aluno e o idoso – são conectados para conversar sobre diversos assuntos, expondo suas preferências, atividades, informações sobre seu dia-a-dia, família e muito mais.

Para melhorar seu desempenho, o aluno conta não somente com o idoso com quem conversa – que dá dicas em como aplicar o idioma da maneira correta – mas também com seu professor, que é o único quem tem acesso à conversa gravada. Ali, ambos podem revisar e corrigir aspectos linguísticos, o que auxilia muito no aprendizado.

Mesmo com todos estes benefícios, o que encanta de verdade são os laços criados entre os participantes do projeto, a quem são proporcionadas verdadeira sensação de fazer o bem ao próximo e possibilidade de desenvolver uma nova amizade. O idoso se sente útil ao auxiliar o estudante a ser melhor praticante do idioma; o aluno, por sua vez, se transforma em nova companhia a alguém que esteja necessitando de um pouco mais de atenção.
Como uma boa manteiga derretida, compartilho (com os olhos cheios de lágrimas, em toda vez que assisto ao vídeo), dois links:
https://www.cna.com.br/sobre-cna/exchange
http://www.dailymail.co.uk/ femail/article-2622691/Lonely- American-retirees-help- Brazilian-students-practice- English-video-chat-make- unexpected-new-friends- process.html
No primeiro, é possível assistir ao vídeo  que mostra toda a beleza e uma breve descrição de como o projeto é realizado. No segundo, para aqueles que desejam fazer uma boa leitura e melhorar as habilidades de compreensão de textos em inglês, é possível ter acesso a uma das diversas publicações estrangeiras que o projeto gerou. Esta, especificamente, no britânico Daily Mail. Vale a pena dedicar uns minutinhos a estas duas paginas.

Quer participar desta experiência? Nossa escola, o CNA Ouvidor – pioneira na execução do projeto em Campos, está te esperando para dar todas as informações necessárias e te deixar apto a ser parte de um mundo onde somos mais que melhores alunos, mas também melhores pessoas.
See you next week!

CNA Ouvidor – Rua Marechal Floriano 355 Tel.: (22) 2733-4133

www.cna.com.br/ouvidor

Educação

Com a palavra: Livia Barcellos

Hi! I’m Lívia!
Bem… Melhor começarmos em Português, certo?
Sou Lívia Barcellos e, antes de começar nossas publicações, vou contar um pouquinho da minha história com a língua inglesa. Não sou muito de falar sobre mim, mas acho legal quando os leitores podem saber um pouco mais sobre aquele que lhes escreve, e principalmente por acreditar que, talvez, alguns se identifiquem com minha trajetória.

Comecei a estudar Inglês um pouco “além da hora”. Apesar da expressão, acredito mesmo que nunca é tarde para novos aprendizados; principalmente quando se trata de um novo idioma, que provavelmente trará inúmeras oportunidades – que podem contemplar desde o lazer à ascensão profissional.

Quando criança, diferente de muitas outras que conviviam comigo, ou mesmo de muitas desta geração atual, eu não tinha nenhum interesse na língua, tendo até certo preconceito. Me encantavam o Italiano, o Francês, e o Espanhol, mas não o Inglês. Quando questionada por minha mãe se gostaria de fazer um curso, como meus primos faziam, minha resposta era sempre um belo NÃO. Isso contradizia minhas notas da escola na mesma matéria. Havia a facilidade, mas não o interesse em aprender o idioma.

Aos 16 anos, com um pouco mais de discernimento sobre o que seria importante para meu futuro, decidi que era a hora de aprender a falar uma nova língua. E como era “mamãe quem pagava por meus estudos” a condição era: – “Escolha entre Inglês e Espanhol, pois estas são as línguas que podem te trazer algum retorno no futuro. Italiano e Francês eu não pago.” Mal sabíamos – nós duas – que exatamente naquele momento ela estaria determinando grande parte do meu futuro profissional.

Ainda quando estava na metade da minha formação em Psicologia e trabalhava em uma clínica odontológica, me formei no Inglês. E como gostaria de manter o contato com o idioma e pensava que já estava na hora de ocupar um cargo profissional mais sério e que tivesse “mais a ver” comigo, resolvi juntar o útil ao agradável. Distribuí alguns currículos e fui chamada a alguns treinamentos, em diferentes escolas. Apesar de ter adorado conhecer diferentes métodos, fiquei realmente realizada quando meu caminho se cruzou novamente com aquela escola onde eu havia simplesmente me encantado com o Inglês: o CNA Ouvidor. Ali eu me senti em casa. Aprendi com ótimos profissionais a como lecionar. Fiz treinamentos, me especializei, expandi meus conhecimentos e saí ainda a trabalhar em outras escolas.

Após me formar na faculdade, abri meu consultório, continuei a estudar Psicologia, mas sem nunca abandonar o Inglês. E aí foi quando surgiu uma nova oportunidade: a coordenação do CNA. Em 2015, ao ver que este era o lugar que me fazia realmente feliz no âmbito profissional naquele momento, fechei (temporariamente) meu consultório, deixei minhas atribuições de professora em outras instituições e, com a cara e a coragem, sem saber como e o que fazer, assumi o cargo que ocupo hoje.

Me sinto muito realizada profissionalmente, com muito mais bagagem e conhecimento. Tive diversos treinamentos com profissionais mais que especializados, mas principalmente, tive ótima assessoria de meus companheiros de trabalho, que me ajudaram nestes três anos de coordenação, e continuam a me ajudar hoje.

A influência do Inglês em minha vida permanece, não só em meu trabalho atual, mas também naquela profissão que escolhi como formação principal e que continuo amando – Psicologia – e principalmente em minha vida pessoal.

Como coordenadora, me sinto útil em ajudar nos Recursos Humanos de minha instituição, me sinto útil ao desempenhar funções que aprendi quando estudei Psicologia Escolar, me sinto útil em ajudar alunos e responsáveis. Porém, me sinto ainda mais feliz em conhecer pessoas maravilhosas – como a Vânia Carvalho – que em tão pouco tempo me cativou de maneira impressionante e me honrou com o convite de participar de seu blog como colaboradora e levar até vocês tudo de bom que o Inglês pode proporcionar.

Meu intuito com essa primeira postagem não é somente falar sobre minha história, mas principalmente mostrar como o idioma pode trazer a vocês tantas novas experiências e oportunidades. No meu caso, desviou completamente meu caminho profissional, da melhor maneira possível. Peço desculpas por me estender neste texto, mas prometo que, apesar de sem experiência em escrever ao público, darei o melhor de mim, assim como quando comecei aqui na coordenação, função que desempenho hoje com propriedade, toda a minha dedicação e satisfação.

Temos um encontro marcado na próxima semana, com um assunto lindo – como integrar o aprendizado da língua inglesa ao bem ao próximo: o Speaking Exchange.
See ya! Ooops… Até lá!

Lívia Campos Barcellos
Pedagogical Coordinator
CNA Campos Ouvidor
22 2733-4133
22 99833-4133

Educação

2018; novidades no colégio Sunflower!

Quando o assunto é escola para os nossos filhos ou pessoas que amamos e cuidamos, temos que avaliar as condições de ensino, tradição do estabelecimento e atualizações constantes. Nesse aspecto, eu posso dizer que a equipe do colégio Sunflower está sempre se reinventando e investindo em condições propícias para trazer resultados surpreendentes para seus alunos. Vejam o que temos para 2018.Novidades
Mais uma vez o Centro Educacional Sunflower inova na Educação em Campos, adotando o LIV – Laboratório Inteligência de Vida nas turmas a partir dos 4 anos de idade. No LIV o aluno desenvolve o seu pensamento crítico, aprende a lidar com os sentimentos e com o próximo. Cada aula, um novo aprendizado para ajudar cada aluno a se tornar uma pessoa melhor.
O LIV tem como objetivo desenvolver habilidades socioemocionais, indo além da esfera acadêmica, preparando os alunos para os grandes desafios do mundo em que vivemos.

Sabemos que conhecimentos acadêmicos – isoladamente – não são suficientes para alcançar sucesso na vida. É preciso muito mais. De acordo com James Heckman, prêmio Nobel em economia, as habilidades socioemocionais são tão importantes quanto o conhecimento acadêmico, particularmente no que diz respeito ao sucesso profissional e pessoal de cada um.​Matrículas abertas; (22) ​2723-1456 e 9 9824-1316

Educação

TECNOLOGIA “Por um mundo sustentável”

Projeto Interdisciplinar: Semeando Valores

Quando pensamos em quanto a nossa tecnologia está inserida em nossas vidas, chegamos a sentir saudades do passado.
Houve um tempo sem celulares, sem computadores, sem videogames. Uma época em que o trabalho era feito, as pessoas voltavam para casa, assistiam televisão e iam ler, conversar, enfim, viver. Hoje, vivemos uma época em que estar fora da tecnologia é estar fora do mundo. A tecnologia deixou de ser um simples diferencial no trabalho, transformou-se em
obrigatoriedade. Não podemos dissociar a tecnologia da sustentabilidade, uma vez que precisamos estar antenados no processo de evolução tecnológica.

Então, preservar e adotar posturas de sustentabilidade garantem a médio e longo prazo um planeta em boas condições para o desenvolvimento das diversas formas de vida, inclusive a humana.


Na semana passada a equipe do CORE (Colégio Regina) realizou a Feira de Ciências, que para os alunos foi um momento que puderam mostrar toda a sua criatividade e dedicação quanto à confecção dos trabalhos que foram apresentados.
Os alunos estavam acompanhados dos seus professores, que foram os mediadores de todo o processo de pesquisa e elaboração dos trabalhos, através dos quais reforçaram a proposta de Sustentabilidade X Tecnologia visando transformar o nosso planeta em um ambiente propício para a vida.

Fotos e texto: Arquivo Colégio Regina CORE

Educação

ENEM: seus filhos estão prontos?

Gente, se tem uma coisa que deixa nossos filhos agitados (e eu tenho dois que já passaram por isso) é o tal do ENEM. Com isso nós também acabamos ficando apreensivas, e torcendo para que o quanto antes termine tudo e termine bem.

O ENEM, criado pelo MEC em 1998, era usado inicialmente apenas para diagnosticar a qualidade da educação no País. Em 2009 já foi utilizado como forma de acesso ao ensino superior. Atualmente é realizado uma vez ao ano, com inscrição paga, e este ano, pela primeira vez, será realizado em fins de semana distintos. Até o ano passado as provas eram no sábado e domingo do mesmo final de semana; este ano será uma parte no dia 05 de novembro, com Ciências Humanas e Linguagens, além da redação, e a outra no dia 12 de novembro, com Ciências da Natureza e Matemática. Os candidatos se preparam com muito estudo e empenho por anos, e à medida que o dia da prova do ENEM vai chegando a tensão vai subindo. Há quem acredite já haver estudado o suficiente, mas há também quem goste de estudar até o último minuto. Em ambos os casos, é bom saber  que a internet disponibiliza vídeoaulas que tem sido assistidas como forma de complemento ao longo processo de preparação dos candidatos. O professorado é unânime em recomendar uma administração meticulosa do tempo dedicado a cada questão durante a prova; a média lógica é de 03 minutos para cada questão do ENEM, de forma que se o candidato vai mais rápido em determinada questão, dá para se deter mais um pouco em outra, lembrando de reservar tempo para preenchimento do cartão de respostas. Há quem recomende começar pela redação, em seu dia. Com isso, nos resta desejar bons estudos nesta reta final e uma boa prova. É bom lembrar a importância de chegar cedo ao local da prova; aliás, recomendo que seu filho e/ou você consultem https://enem.inep.gov.br/ , e bom ENEM.

Fotos: Internet