Entrevista da Semana

Entrevista da semana na Folha Estilo

Evanildo Leite – Professor e Presidente do Rotary

– Qual a sua formação profissional?
Sou professor de Eletrônica e Telecomunicações do IFF, graduado em Tecnologia em Manutenção Industrial (CEFET/Campos), com Mestrado em Engenharia Mecânica (UFF-Niterói) e Doutorado em Engenharia e Ciência dos Materiais (UENF).

– Faça um breve resumo sobre a sua trajetória profissional.
Atuei por mais de 20 anos como técnico de Telecomunicações na Embratel. Durante 13 desses 20 anos atuei também como professor do Instituto Federal Fluminense (IFF, antiga Escola Técnica Federal de Campos, antigo CEFET/Campos), Escola Técnica Estadual João Barcelos Martins e do SENAI.

Sou professor do IFF desde 1996, e, a partir de 2008, me dediquei exclusivamente à carreira acadêmica no Instituto, tendo sido diretor-geral do IFF Campus Itaperuna por três anos.

Atualmente estou coordenador adjunto no Curso Superior de Tecnologia em Telecomunicações do IFF, onde tenho o prazer de trabalhar em prol da educação pública gratuita ao lado de ótimos companheiros! 

– Como está sendo a experiência de ser Presidente do Rotary Club de Campos?
Antes de tudo, é uma honra estar na presidência do Rotary Club de Campos, o mais antigo de nossa cidade, com 91 anos, configurando também como o oitavo mais antigo do nosso país.

Sendo o Rotary uma instituição formada a partir de profissionais líderes em suas áreas de atuação, estar presidindo esse clube é um grande desafio. Ao longo desses 91 anos, tivemos grandes realizações, como a construção de três escolas, as Escolas Rotary I, II e III, que hoje são mantidas pelo poder público municipal e estadual, a criação do aeroclube, que mais tarde se transformou no aeroporto de Campos e outras tantas…

Vivemos em um tempo diferente e nossas preocupações hoje estão muito voltadas para as questões de saúde do nosso povo, onde temos tido a oportunidade de, através de voluntarismo, levar pontualmente serviços médicos e medicamentos às populações mais carentes do interior do nosso município, discutir a importância do aleitamento materno, como fizemos durante o mês de agosto no Agosto Dourado, alertar sobre os cuidados da Saúde renal como faremos em breve, juntamente com os Amigos do Rim, promover campanha de conscientização sobre diabetes, como estaremos fazendo em novembro por ocasião do Dia Internacional do Diabetes!

Também, ao longo dos últimos quase 40 anos temos contribuído para erradicação da poliomielite no mundo que, hoje, graças às forças de governos, do Rotary e dos seus parceiros, conta com o número de casos bastante reduzido.

Do mesmo modo, os esforços de Rotary Internacional já se iniciam no sentido da prevenção e erradicação da hepatite. Além dos serviços à comunidade, um outro pilar do Rotary é o exercício do companheirismo, onde a troca de idéias, o bate papo descontraído, enfim, a convivência e
amizade contribuem para o crescimento pessoal e profissional dos próprios rotarianos!   

– Como concilia o trabalho junto à Presidência do Rotary com a de professor do IFF?
No Rotary temos uma equipe de Conselho bastante afinada, o que nos propicia uma distribuição das tarefas, pois cada um de nós tem sua atuação profissional não podendo se dedicar integralmente ao Rotary!

Assim, com a ajuda de todos, fica mais fácil conciliar as atividades de professor e coordenador do IFF com a atividade rotária.

Fale sobre a sua família. 
Sou casado com Suzana da Hora Macedo, que também é engenheira e professora tendo atuado no curso de Telecomunicações, onde nos conhecemos. Tenho dois filhos do primeiro casamento, Jean Marcus e João Vitor, que já nos deram três netinhos: a Helena o Miguel e o Ulisses!

Quem é Evanildo?
Evanildo é um cara extrovertido, trabalhador, que adora viajar, está sempre disposto a contribuir na busca de soluções para problemas. Em razão de sua própria história, vê na educação uma ferramenta primordial para promover mudanças em uma sociedade. 

– O que costuma fazer nos momentos de folga?
Nos momentos: TV, Cinema, bares e restaurantes. Nos dias: Viagem.

Bate-bola:

Tem paixão por:  meus netinhos 
– Exemplo a ser seguido: Obama
– Ser professor é… maravilhoso!
– Felicidade tem nome: Suzana, Jean, João, Helena, Miguel e Ulisses
– Tem saudades… do Brasil de 10 anos atrás
– Te deixa triste: Brasília
– Alegria: meu time
– Não combina com você: Exercício físico
– Se defina em uma palavra: Feliz
– Time: Flamengo
– Maior mentira que já contou: Vou perder 20 quilos no ano que vem!
– Maior conquista: a aprovação no primeiro concurso público
– Perfeito – a natureza
– Motivo de orgulho: ter promovido inclusão social quando fui Diretor Geral do Campus Itaperuna do IFF 
– Bebida preferida: cervejinha
– Animal que adoraria ter: nenhum
– Som que te acalma:  2cellos
– Momento atual: preocupação e tristeza com nossa cidade, nosso estado e principalmente com nosso país, envergonhado mundo afora!
– Adoraria esquecer: que houve outubro em 2018
– Religião: nenhuma
– Deus: Acredito
– Deixe uma mensagem: “Seja um presente para o Mundo!” – lema de Rotary Internacional 2015/2016    

Fotos: Fernando Cerqueira e arquivo pessoal

Entrevista da Semana

Entrevista da semana na Folha Estilo


Dr. Rafael Crespo – Advogado

Perfil:

– Qual a sua formação profissional? Formei-me em Direto no Centro Universitário Fluminense (antiga Faculdade de Direito de Campos) em 2011. Sou pós-graduado em Direito Processual Civil pela mesma instituição.

– Fale sobre sua área de atuação. Pertenço ao corpo de advogados do escritório Miller Advocacia, o que é motivo de grande orgulho para mim. Como advogado, procuro ser versátil.

Dessa forma, quanto ao Direito Público, milito nas searas do Direito Tributário, com defesas fiscais e recuperação de crédito, e do Direito Administrativo, especialmente em mandados de segurança e ações de improbidade administrativa.

Por outro lado, no que tange ao Direito Privado, atuo em questões ligadas à responsabilidade civil, notadamente ações indenizatórias. Sou professor desde março de 2017.

No Centro Universitário Fluminense, leciono as disciplinas de Direito Processual Civil e Direito Administrativo. Na Universidade Estácio de Sá, lecionei as seguintes matérias: Direito Tributário, Direito Administrativo e Processo Civil.

Além disso, sou professor de um curso preparatório para a prova da OAB: Curso Operação OAB Primeira Fase. Atuo como palestrante, já tendo proferido diversas palestras em Campos e região.

Neste contexto, ressalto que, entre os dias 29 de setembro e 12 de outubro, estarei na Espanha para palestrar na Universidade Complutense de Madri e na Universidade de Burgos sobre Direitos Fundamentais. Por fim, quanto a este ponto, registro que tive o privilégio de ser coautor de dois livros. 

– Como é conciliar a função de Advogado com a de Professor Universitário? Trata-se de um grande desafio, na medida em que ambas as carreiras demandam enorme dedicação e tempo. Não obstante isso, sinto-me privilegiado por poder exercer duas profissões de enorme alcance social.

– O que diria para quem deseja seguir a carreira? Diria que todo o começo é difícil, seja no magistério, seja na advocacia, mas que, com muito estudo e persistência, os obstáculos iniciais sucumbem. 

– Consegue se imaginar em outra profissão? Sou um apaixonado pelo Direito. Assim sendo, só consigo me enxergar em funções que lidem, direta ou indiretamente, com a ciência jurídica. 

– Quem é Rafael? Alguém simples, apaixonado pelo que faz, colecionador de amigos e que busca aprender com a vida. 

– Sua família. Meus pais, Carlos Alberto e Heloisa Helena, são professores e minha irmã Renata Crespo é fisioterapeuta. Falar da minha família, ainda que em poucas linhas, é algo que me emociona profundamente. Isto porque, ao longo dos meus 31 anos de existência, sempre tive apoio integral de todos. Serei eternamente grato.

– O que costuma fazer nos momentos de folga? Tenho uma rotina muito corrida de segunda a sábado, de sorte que tenho pouco tempo de folga. Nesses raros momentos, aproveito para ler um bom livro, ficar um pouco com a minha família e estar com os amigos.

Bate-bola:

– Deixou saudades – minha época de graduação
– Final de semana perfeito – estudando ou viajando para a praia
– Assustador – violência
– Não concorda com… preconceito de qualquer ordem
– Acha chato – superficialidade
– Perda irreparável – meu avô, Hélio Nogueira da Gama
– Comida que sabe fazer – infelizmente não sei cozinhar
– Doce preferido – doce de leite.
– Momento atual – feliz com as conquistas obtidas
– Homem inteligente – Carlos Alberto Machado da Gama
– Mulher estilosa – Ana Luisa Freitas da Silva
– Lugar que adoraria conhecer – Lajatico, Itália
– Não admira quem… é invejoso
– O que não come – comida japonesa
– Não tem perdão – deslealdade
– O que faria diferente – faria mais exercícios físicos
– Nota dez – honestidade
– Nota zero – injustiça
– Time – Flamengo
– Estilo de música – sou bem eclético
– Religião – católico
– Deus – fonte de toda a minha força
– Deixe uma mensagem: Eduardo Galeano, jornalista e escritor uruguaio, possui uma frase que me chama muito atenção e que agora me permito citar: “a utopia está lá no horizonte. Aproximo-me dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar”. Enfim, penso que, na vida, devemos sempre empregar todos os esforços possíveis para realizar nossos sonhos, por mais distantes que eles possam parecer.

Designer; Aldir Mata

Fotos: Fernando Cerqueira

Entrevista da Semana

Entrevista da semana na Folha Estilo

​Dra. Valéria Marins Monteiro – Advogada

Perfil:

​Qual a sua formação profissional? Advogada com várias pós graduações em administração pública

Qual a sua atual função? Atuo no serviço público com cargo de confiança da Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes exercendo a função de superintendente de programas, projetos e regularidade cadastral; elaboro e acompanho convênios municipais, federais e congêneres .

Atualmente faço parte da Comissão do CEASCAM (Central de Abastecimento do Polo Agroalimentar de Campos dos Goytacazes), antigo CEASA, em seu projeto de reabertura, que atenderá a grandes, médios e pequenos agricultores (agricultura familiar) em geral, com o intuito de criar não só novos empregos como fomentar a região norte e Noroeste no abastecimento e redistribuição de alimentos.

Quem é Valéria? Sou uma pessoa que gosta do que faz; tenho sonhos e metas a serem cumpridas.

Fale sobre a sua família – Sou casada há 38 anos com José Carlos Ferreira Monteiro, tenho 2 filhos: (Marcelo -advogado e Mariana- psicóloga), 3 irmãs, 4 sobrinhos e meu pai.

O que costuma fazer nas horas vagas? Gosto de viajar, ver filmes, ler bons livros, tocar ao piano músicas clássicas, ouvir boa música, ir ao teatro e a musicais.

Bate-bola:

Chato: pessoa inconveniente
Medo: violência, intolerância e falsidade
Não falta na bolsa: batom
Não combina comigo: injustiça 
Perda irreparável: minha mãe 
Comida predileta: steak au poivre
Saudades: infância 
Final de semana perfeito: viajando
Dinheiro: é importante, mas não é tudo
Momento atual: novos desafios (profissional: projeto CEASCAM) e pessoal: administração agropecuária da família 
Mulher estilosa: Carmen Mayrink Veiga (in memorian) 
Mulher inteligente: Fernanda Montenegro
Lugar que adoraria conhecer: Grécia 
Não admira: pessoa invejosa
Jamais faria: tatuagem
Não tem perdão: covardia
Absurdo: miséria em todos os sentidos
Não te conquista quem: não cumpre a palavra
Apelido: não tenho
Indecente: a fome
Ser feliz ou estar feliz: estar Feliz
Religião: católica 
Deus: Muita Fé 
Deixar mensagem: Liberte-se do medo, caminhe com segurança e procure ouvir as palavras de orientação, ditadas, no mais profundo de seu coração, por Deus que habita dentro de você.

Quero saber o que você achou da entrevista? Se gostou, compartilhe em suas redes sociais, ok?!

Beijinho e até mais,

Entrevista da Semana

Entrevista da semana na Folha Estilo

David Coelho – Psicólogo, Coach e Palestrante

Perfil:

Formação profissional

Psicólogo,  Pós-graduado em Neurolinguistica,  MBA em Gestão e Planejamento Educacional pela Universidade Católica de Brasília, Master Trainer em Programação Neurolinguistica pela Universidade Metaforum International – Alemanha, Professional and Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching – IBC com certificação internacional pelas instituições European Coaching Association (ECA), Global Coaching Community (GCC), International Association of Coaching (IAC), Behavioral Coaching Institute (BCI).  Pela FEBRACIS – Federação Brasileira de Coaching sou Master Coach, Analista Comportamental Cis Assessment com especialização nas áreas High Business, Coaching Education e Advanced Executive Education.

Trajetória profissional

Os primeiros passos como profissional focado no desenvolvimento humano foram dados no Colégio Salesiano de Brasília – DF, há 18 anos; o conhecimento e a sede por oportunidades me trouxeram para Campos em 2005, atuando desde então em grandes instituições de ensino como o Colégio Salesiano, Colégio Bittencourt e SENAI.

Em 2007 decido ser psicólogo voluntário em ações humanitárias no pós-guerra em Angola – África nos projetos de capacitação, crescimento pessoal e profissional nas ONGs Acción Contra el Hambre, Agencia Espãnola de Cooperación Internacional e Salesianos de Dom Bosco Internacional.

Hoje, além de Diretor Pedagógico do Colégio Integrado João XXIII, acumulo mais de 9.700 horas em treinamentos sobre Inteligência Emocional, Coaching e PNL, impactando mais de 10 mil pessoas nos últimos 8 anos. Criei recentemente o Método DCR – Desperte! Creia! Realize! que busca em um prazo muito menor produzir resultados maiores e efetivos.

Quando e como escolheu ser psicólogo

Estávamos nos anos 2000, atentados terroristas ao World Trade Center em Nova Iorque, a América Latina passando por transformações políticas, a internet conquistando o seu espaço, comecei a observar por onde passava que as pessoas vivenciavam um vazio existencial; foi aí que encontrei os conceitos de Carl Rogers, Milton Erickson, Carl Jung e Jean Piaget.

Principal atribuição do psicólogo no cenário educacional

Acredito que o psicólogo é o profissional mais indicado para assessorar e esclarecer o ambiente educacional a respeito de diversos aspectos do processo de ensino-aprendizagem e do comportamento humano, e tem uma atuação preventiva.

Para mim as palavras de Rubem Alves definem muito bem a atribuição do psicólogo no cenário escolar. “O nascimento do pensamento é igual ao nascimento de uma criança: tudo começa com um ato de amor. Uma semente há de ser depositada no ventre vazio.

E a semente do pensamento é o sonho. Por isso os educadores, antes de serem especialistas em ferramentas do saber, deveriam ser especialistas em amor: intérpretes de sonhos”.

A aceitação do profissional hoje está mais bem compreendida ou ainda tem gente que pensa que o tratamento é “desnecessário”? Hoje, com todo o acesso a comunicação e com boas fontes, percebo que a sociedade tem compreendido amplamente o papel do psicólogo e sua importância.

Sua atuação como Psicólogo e como Coach

Como concilia as duas áreas? Todos os seres humanos possuem necessidades e, eventualmente, precisam de um suporte para lidar com os obstáculos naturais da vida.

Muitas pessoas desconhecem a diferença entre coaching e psicologia e, não raro, escolhem apenas uma dessas abordagens para solucionar o problema que enfrentam. Como Psicólogo Coach tenho resultados extraordinários como maior assertividade quanto aos problemas a serem tratados na vida do indivíduo.

Através das técnicas e ferramentas do Coaching consigo acelerar o processo evolutivo do cliente, auxiliando a pessoa para que ela defina suas metas de acordo com seus valores, construindo, assim, sua missão de vida.

– Quem é David? Sou filho da terra nordestina, apaixonado pelo ser humano, amante de um bom vinho. Um aventureiro da vida. Um vencedor.

Sobre a sua família

Essa pergunta gera muita emoção. Sou casado com Daniela Cretton; completamos 10 anos em junho. Nos conhecemos pelos corredores do Colégio Salesiano em janeiro de 2005; ela é minha fiel parceira, amiga e companheira. Temos dois filhos: Sávio, nosso primogênito com 9 anos, e Theo, “Presente de Deus” com 6 anos.

Temos um relacionamento bem divertido; gostamos de viajar, curtir a praia, ficar com as crianças e receber amigos em casa. Temos a mesma espiritualidade; acreditamos em Jesus Cristo e somos filhos de Nossa Senhora Auxiliadora.

– O que costuma fazer nas horas vagas? Viajar, ler e principalmente curtir a família.

Bate-bola:

– Assustador – A miséria
– Vencedor – Meu filho Theo
– Maior conquista – Superar a amputação do meu braço esquerdo
– Time – O maior. Flamengo.
– Bebida que não consome – Campari.
– Campos – Onde sou feliz.
– Tem medo de… Solidão
– Filme – Dirty Dancing – Ritmo Quente” (1987) e Pentalogia “Rocky” (1976, 1979, 1982, 1985 e 1990) 
– Música – “Eye of the Tiger”, do Survivor 
– Não admira – Mentira
– Qualidade – Otimismo
– Defeito – Teimosia
– Esporte preferido – Futebol
– Palavra preferida – Família
– Sucesso – Realizar sonhos
– Outra profissão que gostaria de ter – Psiquiatra
– Amigo inseparável – Meu filho Sávio
– Detestável – Fome
– Estilo de música – Forró e Gregoriana
– Saudades de… brincar com meu irmão Dalmo
– Não acredita – Bicho papão
– Nota zero – Crenças Limitantes
– Nota dez – Inteligência Emocional
– Religião – Cristã Católica Romana
– Deus – Vida abundante
– Deixe uma mensagem: Veja aquilo que não existe como se já existisse e seja feliz! Desperte! Creia! Realize!

Entrevista da Semana

Entrevista da semana na Folha Estilo

Dra. Ada Lavôr Pellegrini – Dentista

Perfil:

– Qual a sua formação profissional? Cirurgiã Dentista formada em 2003 pela Faculdade de Odontologia de Campos. Especialização em prótese, pacientes com necessidades especiais, atendimento odontológico domiciliar e, finalizando, habilitação em odontologia hospitalar.

– Como administra o seu dia? Acordo diariamente antes das 6h. Tenho uma semana intensa e me divido entre os atendimentos domiciliares e consultório, além de 2 vezes por semana trabalhar na prefeitura de outro município, atendendo exclusivamente pacientes especiais.

– Fale sobre a sua área de atuação profissional. Diariamente lidamos com pacientes que possuem limitações físicas, mentais, cognitivas, doenças sistêmicas crônicas, que precisam de um atendimento odontológico diferenciado, seja ele preventivo ou curativo. Atuamos além da cavidade oral, com foco no atendimento humanizado.

Lidamos com o medo, dificuldades de locomoção, doenças sistêmicas onde o dentista precisa conhecer e saber lidar com a fisiopatologia e o procedimento odontológico, sem deixar de lado a empatia, acolhimento e muito amor.

– Qual a principal função de um cirurgião dentista? Promover saúde, esse é o nosso maior objetivo. Usamos como linha de cuidado principal o acolhimento, onde a criação do vínculo, principalmente com pacientes especiais, é essencial para o sucesso do tratamento. Cada paciente com suas características e necessidades individuais, recebe abordagem individualizada.

– Como é a sua rotina? Minhas tarefas diárias são divididas entre atividade física no início da manhã, condição essencial para manutenção de minha saúde, e seguimos entre o consultório, atendimentos domiciliares, serviço público e administração da casa.

– Quais os desafios junto ao público? Em minha área de atuação, o principal desafio é a criação de vínculo, o manejo odontológico em pacientes sistemicamente comprometidos requer estudo contínuo e muito comprometimento. Busco sempre orientar sobre a importância da saúde bucal para a manutenção da saúde.

– Como fica a realização pessoal em termos profissionais? Minha realização na profissão está em cada sorriso que recebo de volta ou abraço de cada paciente e pais por mais uma etapa vencida. Promover qualidade de vida a pacientes acamados, orientar a família e cuidadores sobre como realizar os cuidados orais é muito gratificante.

– Quem é Ada? Ada foi uma criança de infância feliz. Filha de treinador de cavalos, tive uma infância que envolvia o contato com animais e natureza. Chegar até aqui não foi fácil, mas a determinação, uma característica muito forte da minha família, sem perder o bom humor, irreverência e riso fácil, fez dos obstáculos algo a ser superado sem perder a doçura. Hoje, mantenho a mesma essência, e levo isso para a vida.

– Fale sobre a sua família. Falar da minha família, já me faz abrir um sorrisão!! Casada há 9 anos com um homem incrivelmente inteligente, justo, gentil, bem humorado, só me faz ter a certeza de que o amor é a única resposta! Minha mãe, linda! Uma irmã parceira e comadre, sobrinhos encantadores, tios, primos que quando se juntam… é muita energia boa!

– Como encontrar tempo para o lazer? Viajamos bastante, cuidamos da nossa história com muito carinho e os horários de lazer são essenciais para estarmos em comunhão; normalmente buscamos o contato direto com a natureza.

Bate-bola:

– Incoerente: Os discursos políticos
– Sem graça: Deixar alguém esperando
– Lembrança boa: Nova York
– Sem solução: Corrupção
– Cheiro agradável: Uma manhã a beira mar
– Amor: O que eu tenho e dou
– Sonho de consumo: Ter um cavalo
– Livro de cabeceira: A morte é um dia que vale a pena viver, escrito por Ana Cláudia Quintana
– Melhor conquista: Minha felicidade
– Filme que assistiu e que recomenda: O escafandro e a borboleta
– Som preferido: O que combina com meu estado de espírito.
– Ídolo: São Francisco de Assis, a palavra certa é devoção
– Admirável: Educação e gentileza com TODOS
– O que te faz rir: As perguntas que meus sobrinhos me fazem
– Desejo: Igualdade
– Decepção: Promessas não cumpridas de políticos
– Medo: De perder quem eu amo
– Momento atual: Plena
– Mania: Mexer na ponta do cabelo
– Jamais esquecerá: O primeiro beijo com meu marido
– Ilegal: Não compre nada sem nota fiscal
– Religião: Católica
– Deus: Base de tudo
– Deixe uma mensagem: Nunca deixe de agradecer