Entrevista da Semana

Entrevista da semana

Dra. Mille Anne Garibaldi – Advogada

Perfil:

– Qual a sua formação profissional? Me formei em Direito em 2001 e atuo há 17 anos em processos de Direito de Família, Direito das Sucess​ões e Direito Imobiliário, por serem as áreas com as quais mais me identifico. Sou sócia do Escrit​ório Peres e Garibaldi Advogados Associados, que se encontra no mercado há 45 anos atuando nessas áreas.

– Em que momento você imaginou ser advogada? Desde criança eu dizia: vou ser advogada quando crescer!!! Foi um sonho realizado e sou muito feliz com minha escolha profissional!!!!

– Faria tudo novamente? Com certeza!!!! Amo o que faço e faria tudo da mesma forma. Sou realizada ​profissionalmente.

– Como você vê o cenário jurídico atualmente? Atualmente a vinda do processo eletrônico facilitou a vida dos advogados e tornou os processos mais céleres.  E a mudança do CPC em 2015 foi um avanço jurídico muito significativo e que trouxe muitos benefícios na tramitação processual.

– Dá para ter orgulho de ser advogada? Tenho muito orgulho, apesar dos desafios diários, da dedicação que é preciso e horas de estudo; advogar é se entregar para que nosso cliente tenha sempre o melhor resultado possível.

– Fale um pouco sobre a sua família. Sou casada há cinco anos com Thiago e ainda não temos filhos.
 
– Quem é Mille? Uma mulher de personalidade forte, batalhadora e que não desiste dos sonhos. Que ama ajudar o próximo e que acredita em Deus, na família e num futuro melhor para o Brasil.

– O que faz nos momentos de folga? Amo viajar e conhecer novos lugares e culturas. Quando estou na cidade gosto de pedalar, ficar com a família e amigos.

Bate-bola:

– Surpresa boa ​-  Meus sobrinhos Duda, Gabi, Júlia e João.
– Adora quando​ – Sou surpreendida
– Não concorda com…​ ​a corrupção na política do Brasil
– Não gosta de ​- Ler notícias ruins
– Programa de final de semana ​- Viajar, pedalar e andar a cavalo
– Perfeito ​- Só Deus!!
– Não recomenda ​- ​Fast food
– Pecado bom ​- Comer
– Maior mentira contada ​- Estou de dieta!!! Kkkk
– Te convence quem…​ ​é verdadeiro
– Como gosta de ser chamada​ -​ ​De Mille
– Parceiro – Thiago de Oliveira Araujo
– Tira você do sério​ -​ ​Ingratidão e mentira
– Estilo de música ​- Sertanejo, MPB e samba
​-​ Animal que jamais teria ​- Gato
– Não perdoa ​-​ Ser feita de boba
– Momento atual ​- Feliz e grata
– Fidelidade é… essencial, seja qual for a relação
– Mulher admirável ​- São duas, minha mãe Rosa e minha dinda Adamyres
– Homem inteligente ​- Meu marido
– Não vive sem ​- ​Deus
– Não falta na bolsa ​- Maquiagens. Amo!!
– Precisa conhecer ​- ​Fernando de Noronha
– Religião ​- ​Católica
– Deus ​- É quem cuida de mim!
– Deixe uma mensagem: A vida não é sobre metas, conquistas e linhas de chegada e sim quem você se torna durante a caminhada.

Endereço: Avenida Alberto Torres, 371 sala 910 Centro

Tels.: (22) 2723-4489 99813-5952

Designer: Aldir Mata

Entrevista da Semana

Entrevista da semana

Dr Paulo Ronaldo Bohrer – Médico Angiologista

Perfil:

– Qual a sua formação profissional? Médico Pela Faculdade de Medicina de Campos, Cirurgião Geral Pelo Hospital Escola Alvaro Alvim, Cirurgião Vascular Pelo Hospital Municipal Miguel Couto, Angiorradiologista e Cirurgião Endovascular pelo Hospital Federal do Andarai e Fellow Partnership com Especialização no Tratamento endovascular de Aneurismas complexos  pelo Nuremberg Klinikun Sud em Nuremberg na Alemanha.

– Resuma a sua trajetória profissional. Me graduei médico pela Faculdade de Medicina de Campos, logo após ingressei e conclui seguidamente nas especializações em cirurgia geral pelo Hospital Escola Alvaro Alvim, seguindo para Cidade do Rio de Janeiro, naquele que acredito ser o maior serviço de cirurgia vascular do nosso estado atualmente, no Hospital Municipal Miguel Couto e finalmente em angiorradiologia e cirurgia endovascular pelo Hospital Federal do Andarai, tendo oportunidade de seguir no staff de ambos os hospitais após minha especialização. Concluída essa fase da formação tive oportunidade de ingressar em duas grandes equipes na medicina privada, primeiramente no Rio mesmo e depois em São Paulo, quando surgiu a oportunidade de especialização no tratamento de aneurismas complexos em Nuremberg na Alemanha, que havia se tornado um grande sonho pra mim. Ao final do meu período na Alemanha tive a oportunidade de retornar para Campos após convite feito pelo hospital Dr Beda, onde desde então viemos desenvolvendo diariamente nosso trabalho nas áreas da Angiologia, Cirurgia Vascular e principalmente Cirurgia Endovascular, onde, juntamente com uma equipe privilegiada, temos desenvolvido um serviço que possa a ser referência no tratamento de doenças vasculares complexas, além de atuação como cirurgião vascular junto à Faculdade de Medicina de Campos, no Hospital Escola Alvaro Alvim e também no Hospital Ferreira Machado como médico da prefeitura municipal de Campos.

– Fale sobre a sua especialidade e o por que da escolha. Sempre fui fascinado pela área cirúrgica, tanto pelo desafio como pela capacidade de causar o bem a alguém assim, com as próprias mãos. Durante a minha formação em cirurgia geral fiquei encantado pelo desafio técnico da cirurgia vascular e pelas inúmeras possibilidades e tecnologias que se apresentavam com a cirurgia endovascular, então por ai eu segui.

– Quem é Paulo? Acredito que seja uma pessoa otimista, determinada e de muita fé; muito agradecido pela família e pelos amigos que a vida lhe deu, mas, principalmente, alguém que tem a sorte de ser apaixonado pelo que faz todos os dias e que agradece muito a Deus por tudo isso.

– Fale sobre sua família. Tenho pais, irmãos e toda uma família numerosa, que sempre me apoiou muito; não sou casado ainda e nem possuo filhos, mas acredito que na vida as coisas acontecem na hora certa; então, no momento, meu único casamento é com a profissão.

– O que faz nos momentos de folga? Eu tento estar sempre com minha família e amigos, e tento principalmente, sempre que existe uma brecha nessa rotina, viajar.

Bate-bola:

– Apaixonante – Profissão
– Lembrança agradável da infância – Todos os irmãos e primos reunidos nas ferias, família numerosa a bagunça sempre era boa.
– Elogio que gosta de receber – A satisfação e o reconhecimento de um paciente após um bom trabalho são prazeres difíceis de se mensurar.
– Inseparável – Celular
– Lazer- Viagens e esportes
– Perfume – Issey Miake intense
– Realização – Me tornar cirurgião sempre foi o meu sonho.
– Momento único –  Difícil escolher um
– Exemplo de pessoa – Tive muitos mestres, mas meus pais sem duvida me guiaram pela minha trajetória.
– Apelido carinhoso – PR
– Quem deu – Não tenho a menor ideia …
– Não dorme sem antes… Ver todas as notícias esportivas do dia.
– Não perdoa – Desistir sem tentar
– Emoção – Ajudar a salvar uma vida
– Campos – Família e amigos mais queridos
– Adora fazer – Esportes, viagens e operar, claro…
– Palavra mágica – Determinação
– Não tem cura – Falta de limites eu acho…
– Não faria – Muitas coisas mas quase tudo na vida é circunstancial
– Não perdoa – Covardia
– Religião – Fé acima de tudo
– Deixe uma mensagem: Acho que todos temos que sonhar sempre, acreditar e perseguir esse sonho

Designer: Aldir Mata

Entrevista da Semana

Entrevista da semana

Dra. Lúcia Regina Pessanha Machado – Médica

PERFIL:

Qual a sua formação profissional? Médica, formada pela FMC/1993.​ ​
Pós Graduada em obstetrícia, ginecologia, saúde mental, medicina do trabalho e finalizando a pós graduação em ultrassonografia.
-Em que momento você descobriu que queria atuar como médica e como foi a escolha da especialidade? Na adolescência, tendo minha mãe, Adelaide Machado Pessanha, como minha maior incentivadora. A ESCOLHA da especialidade devo aos meus grandes mestres: DR LUIS CARLOS SILVA E DR WILSON PAES.

Escolheria a mesma coisa de novo​? 
Com certeza! Amo minha profissão pela oportunidade que ela me oferece de servir e crescer como ser humano.

Quais os ôn​us e os bônus da profissão?​ 
A medicina é sem duvida uma profissão dinâmica, que nos mantem envolvidos com a arte de cuidar e curar. Nada supera o reconhecimento do paciente pela nossa dedicação e atuação. É, sem dúvida, um sacerdócio, e, como todo sacerdócio, requer doação e sacrifício.

Como administra o seu dia-a-dia? Meu dia começa às 6 h da manhã; logo nas primeiras horas dedico meu tempo à comunhão com Deus através da oração, meditação e estudo da bíblia. Trabalho das 7 h às 20 h de segunda a sexta, e dedico um dia na semana, que é o sábado, para o descanso físico e espiritual.

Fale sobre a sua família. Somos 7 irmãos (DELANI, NANCY, MARCIO, REGINA, LUCIA, MARCELO E KARLA). Meu núcleo familiar até fevereiro era minha mãe e karla. Infelizmente, dia 27/02/2018 perdi a pessoa mais importante da minha vida: minha mãe. Ela nos deixou um grande legado: nos ensinou o amor de Deus e uma família, sobretudo minha companheira, minha alma gêmea, KARLA MACHADO PESSANHA.

Quem é​ Lucia Regina? Uma mulher de hábitos simples, personalidade forte, agregadora e que tem a convicção de que não é fruto do acaso. Deus planejou o que sou hoje desde o ventre da minha mãe.

​O que diria para os que estão escolhendo a medicina? ​Não esperem uma vida tranquila; a medicina exige sacrif​ícios,​ ​dedicação e​ ​doação.​ ​Deve ser exercida com humildade,​ ​simplicidade,​ ​buscando sempre aprimoramento.

O que costuma fazer nas horas vagas? ​Gosto de ler​ e
assistir um bom filme.

Bate-bola:

Felicidade é… Paz de espírito

Uma mania – Não durmo sem antes ler alguma coisa relevante.

Uma qualidade – Pontualidade

Um defeito – Impaciência, às vezes.

Uma cor – Rosa

Uma música – Amazing Grace

Um Lugar – Encontro das águas do Rio Negro e Solimões, Manaus.

Família​ ​é… Meu maior patrimônio

Um cheiro​ bom​ – Floral

Um livro​ ​que recomenda​ – O desejado de todas as nações, Ellen,G,Wite.

O que te aborrece – Intolerância das pessoas

Uma comida – Um bom prato vegetariano.

Um desejo​ a ser realizado – Conhecer Jereusalem

Decepção – A POLÍTICA

Aprendizado – O exercício do cargo de Secretária de Saúde por São João da Barra.

Maior mico – Trocar o nome das pessoas.

Lembrança agradável – A convivência com minha mãe

Seu estilo de vida é… Saudável

Perfume – Azzaro

Melhor presente – Uma vida resgatada…

Sucesso​ -​ Trabalho com justa remuneração

Não vive sem​ – Sem a certeza da presença de Deus.

Palavra preferida -​Por gentileza

Religião – Adventista do Sétimo Dia.

Deus – Mantenedor da minha vida

UMA MENSAGEM : A FÉ EM DEUS DÁ SENTIDO E FINALIDADE À VIDA.
 Designer: Aldir Mata

Entrevista da Semana

Entrevista da Semana

Carlos Faria – Engenheiro Civil

– Fale de forma resumida sobre a sua atuação profissional. Projetos de Cálculo Estruturais para obras em concreto armado, protendido e estruturas metálicas.

– Como consegue conciliar as várias funções profissionais? Com muita força de vontade, gostar do que faço, amor a profissão e sempre acreditando que amanhã será melhor que hoje.

– O que te fez escolher Engenharia Civil? Seguindo caminhos do meu pai e meus tios, que sempre atuaram na área de engenharia civil e arquitetura. Está no DNA.

– Quem é Carlos Faria? Por que o apelido Café? Carlos Faria é um cara de bem com a vida, amigo de seus amigos, profissional dedicado, que busca sempre estar antenado com os assuntos relacionados a sua profissão, sempre atualizando conhecimentos e agregando valores profissionais como funcionário publico.. antenado aos assuntos ligados a engenharia, a politica e preocupado com o futuro da sua cidade.

O apelido Café foi batismo no Liceu de um grande amigo, irmão e colega de profissão, o engenheiro civil Arivaldo Ferreira.

– Fale sobre sua família. Sou casado com Cristina, mulher guerreira, maravilhosa, dedicada e dona do pedaço; ela é quem dá a ultima palavra, administra o nosso lar. Sempre esteve ao meu lado, firme como uma rocha nos momentos mais difíceis da vida. A família é tudo de bom que conquistei, tenho três filhos maravilhosos, onde o do meio (Felipe) nos deixou há quatro anos atrás, mas ainda vive em nossas memórias, Igor com 18 anos, é o mais novo e Carolina uma cirurgiã dentista competente que me deu dois netos lindos e maravilhosos​: Leonardo e Lara Maria. Feliz da vida com eles.

– O que faz nos momentos de folga? Curto junto com a família e os amigos mais próximos os bons momentos da vida. Saímos as vezes para jantar ou curtimos a vida em nossa área de lazer, tomando uma cerveja gelada, comendo um suculento churrasco e curtindo uma boa música. Quando chega o verão, corro para praia do Morro em Guarapari, onde é nosso refúgio.

BATE-BOLA:

– Não curte – Falsidade

– Lugar ideal para o descanso – Guarapari

– Sem perdão para…Para político ladrão

– Chato demais – Os escândalos na politica do Brasil, do RJ  e de Campos

– Som que te acalma – Músicas de Fagner e Zé Ramalho

– Família – Como na engenharia, é o meu pilar, é a minha sapata, Sem eles eu não fico em pé.

– Abominável – Violência, Corrupção e Mal Caratismo

– Adorável – Se todos se amassem e fossem mais solidários com o próximo.

– Cheiro agradável – Da beira mar com a minha esposa.

– Não concorda com… Oposição que prega a política do “Quanto pior , melhor”. Infelizmente em Campos é assim.

– Exemplo a ser seguido – Meu pai Durval Faria e meu tio Roberto Faria. Aos 60 anos eu ainda quero ser igual a eles.

– Irresistível – A picanha recheada e a costela que eu faço

– Time – Vasco e Goytacaz

– Momento de parar – Está decidido, com 75 anos. Falta um bocado.

– Aplausos para… Deus

– Parabéns para – Todos que pensam num futuro de prosperidade para Campos dos Goytacazes.

– Bebida – Vinho tinto, cerveja bem gelada e whisky

– Alimento preferido e que sabe fazer – Peixe frito com camarão à beira mar. Eu só sei fazer churrasco.

– Hobby – Futebol e criar muitas galinhas em minha “Fazendinha Urbana”

– Mania – Gosto das coisas com perfeição. Bagunça e desorganização eu estou fora.

– Dia ou noite – As duas tem seu significado próprio, seus encantos e suas magias.

– Praia ou piscina – As duas…Gosto de água.

– O que mais te incomoda nas pessoas – Fofoca, inconveniência e desonestidade.

– Prato predileto – Sou tarado por um Filé à Parmegiana na pedra.

– Palavra que não sai da sua boca – Futuro: Acredito sempre nele

– Paixão por… Pelos meus netos…são especiais, sou apaixonado por eles.

– Não acredita em… em político falastrão e fanfarrão

– Religião – Já fui Adventista.

– Deus – É o cara. Sem ele eu não sou nada.

– Deixe uma mensagem: “Por mais difícil que seja, nunca tema falar a verdade, até porque a honestidade é uma qualidade maravilhosa, ela gera respeito e confiança”.

Designer: Aldir Mata

Entrevista da Semana

Entrevista da semana

Dr. Felipe Drumond – Advogado

Perfil:

– Qual a sua formação profissional? Bacharel em Relações Internacionais. Posteriormente formado em Direito pela PUC-Rio. Pós-Graduado em Direito Penal Econômico pela Universidade de Coimbra (Portugal) e mestrando na área de Direito Processual Penal.

– Resuma a sua trajetória profissional? Ainda no início da faculdade de Direito, na PUC-Rio, comecei a estagiar no escritório do Arthur Lavigne, especializado em advocacia criminal e muito tradicional no Rio de Janeiro. Desde então, fiquei fascinado pela profissão. O dinamismo, os desafios e a possibilidade de lutar contra injustiças me fizeram ter a certeza de que se tratava da carreira que deveria seguir. Ao me graduar, passei, então, a trabalhar com Diogo Malan. Foi uma oportunidade de um crescimento profissional incrível, tendo em vista que, além de um excelente criminalista, se trata de um brilhante professor de processo penal, filho do ex-ministro da Fazenda, Pedro Malan, autor de diversos livros e uma verdadeira referência na área. Posteriormente, comecei a trabalhar, ainda no Rio, com André Perecmanis, um grande amigo, irmão de vida e de batalhas. Além do encanto pela advocacia criminal, sempre fui fascinado por dar aulas.  Passei a dar aulas na Faculdade de Direito da PUC-Rio. Logo após, decidi que seria interessante trazer para Campos um escritório especializado em advocacia criminal, com um perfil de atendimento personalizado e experiência em áreas até então pouco comuns na cidade, como o Direito Penal Econômico e Empresarial. Assim, fundei em Campos meu próprio escritório, o Drumond & Escocard Advogados, ainda mantendo estreita ligação com o André Perecmanis por meio meio de associação com seu escritório a fim de oferecer aos clientes um atendimento especializado e dedicado tanto em Campos quanto na capital do Rio de Janeiro. Ao voltar a morar em Campos, não poderia ficar afastado das salas de aula, razão pela qual fui professor de Direito Penal e de Processo Penal da Universidade Cândido Mendes por pouco mais de 2 anos. Ultimamente, passei a dividir meu tempo entre Campos e o Rio por lá atuar em alguns processos da chamada operação “Lava-Jato” do Rio. Em paralelo, como não poderia abandonar a minha paixão pelo magistério, fui convidado para dar aula de Direito Penal Econômico em um curso de Pós-Graduação em Direito da UERJ, onde continuo lecionando até os dias de hoje.

– Tendo uma família com médicos, inclusive o seu pai Dr. Carlos Mario de Melo, por que escolheu o Direito? Desde o tempo do colégio eu tinha por hábito defender meus amigos de todo e qualquer problema em que se metiam, inclusive junto à direção escolar. Acho que a advocacia sempre esteve presente em mim; escolher o Direito foi apenas reconhecer uma paixão e uma inclinação naturais.

– Alguém te influenciou na escolha? Tive uma influência indireta. Antes do Direito estudava Relações Internacionais e pensava em seguir a carreira de diplomata, até que um dia vi um professor e diplomata que eu tinha como referência ser transferido de um posto de muito prestígio para uma posição relegada ao ostracismo por razões meramente políticas. Essa decepção me fez procurar outro plano profissional e me permitiu descobrir a inclinação pelo Direito que desde sempre esteve em mim.

– Como advogado, qual a sua opinião em relação à morosidade da justiça? Penso que a morosidade do Judiciário é um problema sério, mas não representa a sua principal deficiência. Faço essa afirmação porque, muitas vezes, a pretexto de se superar a morosidade judicial, procedimentos, formalidades e certos direitos são atropelados pelo Poder Judiciário em nome de maior celeridade, e isso é ainda mais grave. Um processo com violação de direitos é, seguramente, um processo injusto. Não há dúvidas de que um processo excessivamente lento também possa se tornar inevitavelmente injusto ou ineficiente; entretanto, é preciso que as soluções passem a ser pensadas com profundidade, responsabilidade e sem que haja violações de direitos.

– Você é realizado na profissão? Faria tudo novamente? Costumo dizer que não defendo minhas ideias e teses no Direito por ser advogado, mas sou advogado apenas porque acredito plenamente nos meus ideais. Ser advogado criminalista é estar, sempre, em defesa de alguém que amargura em uma posição mais vulnerável no processo. Quando olho para trás e me lembro de quantas vezes, com muita veemência e paixão, defendi meus amigos de colégio junto à direção escolar e o quão apaixonado sou pelo que faço, tenho a certeza de que eu não poderia fazer algo diferente. Sou realizado por lutar por um ideal no qual realmente acredito. Faria tudo de novo, com a mesma paixão de sempre.

– Fale sobre a sua família. – Sou solteiro, não tenho filhos e tenho uma namorada, Maria Luiza Soares.

– Quem é Felipe? Sou um cara apaixonado. Costumo ser intenso, sempre, em tudo que faço. Defendo com unhas e dentes o que acredito.  Gosto de pessoas sinceras e que são significantes na sua simplicidade. Até hoje um dos meus maiores desafios é tentar descrever como sou. Acho que continuo fracassando nesse propósito. Mas eu diria que sou de verdade. E, mesmo não sabendo dizer exatamente o que é isso, o que importa é que quem é de verdade sabe quem é de verdade.

– O que faz nas horas de folga? Adoro praticar esportes. Sempre que posso arrumo um tempo para treinar crossfit, que se tornou mais que uma atividade, mas um estilo de vida para mim. Corro, pedalo, faço um pouco de musculação e me lamento por não ter mais tempo e disposição para praticar outras modalidades. Adoro cozinhar, reunir amigos, família, ver bons filmes e, quando é possível, passear um pouco por aí.

Bate-bola:

– Ser feliz ou estar feliz – viver leve

– Paixão por – esportes

– Exemplo de pessoa – meus pais

– Ser advogado é… lutar incansavelmente por Justiça

– Time – Flamengo

– Medo – do “espelho se quebrar”

– Motivo de tristeza – injustiça

– Alegria – superação

– Filme que recomenda – Tempo de matar

– Momento de parar – quando morrer

– Dica para o sucesso – acreditar e não desistir

– Melhor amigo(a) – meu pai

– Mentira – uma lástima

– Hobby – crossfit

– Maior conquista – sempre que um aluno se diz satisfeito com o que tentei ensiná-lo

– Não faria novamente – repetir meus erros

– Não abre mão de… praticar esporte

– Admirável – humildade

– Orgulho de… ser honesto

– Ídolo – meu Pai, Carlos Mário

– Bebida preferida – água

– Animal de estimação – cachorro

– Mulher elegante: Minha mãe, Dulce Drumond

– Som que te agrada – Samba

– Momento agradável – Os Natais da minha infância

– Adoraria esquecer – o dia em que vi, pela última vez, meu tio e segundo pai entrar no hospital

– Religião – Deus

– Deus – O grande Arquiteto do universo

– Deixe uma mensagem: Nos tristes dias de hoje, em que as “soluções” para os problemas sociais tem feito triunfar a arbitrariedade às custas da democracia, deixo um significativo trecho do poema “No caminho com Maiakóvski”, de Eduardo Alves da Costa: “Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim. E não dizemos nada. Na segunda noite, já não se escondem; pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada. Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos dizer nada.”

Designer: Aldir Mata