Entrevista da Semana

Entrevista da semana

Entrevistados: Dr. Marco Iack e Dr. José Luiz Kury – Bioquímicos e Diretores do Laboratório Pedra Verde

PERFIL:

– A formação profissional.

José Luis –  ​Sou farmacêutico bioquímico 

Marco Iack – Farmacêutico-Bioquímico formado na Universidade Federal de Juiz de Fora/MG – UFJF, com Título de Especialista em Análises Clínicas pela Sociedade Brasileira de Análises Clínicas, especialização em Hematologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UJRJ. Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas – SBAC.

– Breve resumo sobre a trajetória profissional.

José Luiz –  ​Graduado pela UFRJ, debutei no laboratório do Hospital Central da Marinha, período que cumpri o serviço militar. Já em Campos, estive à frente do laboratório do HFM, do extinto Hospital São José, do HPC, entre outros. Hoje toda minha experiência e conhecimento são direcionados para o Pedra Verde.

Marco Iack – Toda a minha vida profissional foi aqui em Campos; vim logo depois de formado, em março de 1997, tendo trabalhado em vários laboratórios até que em fevereiro de 2015 assumi a direção do Laboratório Pedra Verde. Também tenho duas matrículas na prefeitura, sou funcionário público, lotado no laboratório do Hospital Ferreira Machado desde 2002.

Área de atuação.

José Luiz – ​Sou especialista em Análises Clínicas, apaixonado pelo que faço e fico muito à vontade gerenciando a área técnica do laboratório.

Marco Iack – Análises Clínicas; esta é uma atividade de apoio diagnóstico, onde damos suporte para tomada de decisões médicas baseadas em evidências. Esse é o conceito mais básico. Com o avanço da tecnologia conseguimos dizer, por meio de testes genéticos no laboratório, se determinado alimento é compatível com determinada pessoa, ou seja, às vezes uma pessoa não consegue emagrecer, por exemplo, porque não está ingerindo os alimentos adequados ao seu perfil genético. Também podemos descobrir, com décadas de antecedência, a predisposição a determinadas doenças e já começar um tratamento preventivo para inibir, ou retardar, o aparecimento da mesma. Podemos determinar se um indivíduo tem mais aptidão para esportes aeróbicos (como corrida, ciclismos ou natação) ou para esportes de impacto e força (como a musculação). As análises clínicas além de auxiliar no diagnóstico, controle e descarte de patologias clínicas, atua como auxiliar para manter uma vida saudável por meio dos testes genéticos, que são específicos para cada indivíduo.

Administrando a vida profissional e pessoal junto ao laboratório.

José Luiz – ​Tranquilamente. Quando se faz o que gosta, e tendo a família que tenho, é fácil.

Marco Iack – Após assumir a direção do Laboratório Pedra Verde o ritmo acelerou muito; movimentou toda a nossa família; eu inclusive trouxe minha esposa para trabalhar junto comigo. Quando possível saímos da cidade para aliviar um pouco a tensão.

– Há quanto tempo estão à frente da direção do Laboratório Pedra Verde?
Assumimos a empresa em fevereiro de 2015, três anos.

– Quais os serviços prestados pelo laboratório?
Realizamos todos os tipos de exames laboratoriais e citologia.

– O novo espaço do Laboratório foi feito para agradar de forma intensa os clientes. Fale um pouco sobre isso, inclusive sobre o espaço kids.
Inauguramos, em fevereiro, uma nova sede e pensamos em um espaço mais humanizado para nossos clientes. Um espaço onde eles sentissem o aconchego de uma casa, um ambiente menos agressivo, principalmente para nossos pequenos clientes. Montamos uma área reservada, com ambiente diferenciado, onde o período de permanência no laboratório se torna agradável e divertido e não tenso e apavorante, como normalmente ocorre. Contamos com uma equipe técnica diferenciada para atender com o respeito e carinho que nossos clientes merecem.

Quem é Marco?
Uma pessoa simples. Precisa de pouco para se sentir pleno. Caseiro, familiar, tranquilo. Prefere passar um final de semana nas montanhas que nas praias. Não gosta de futebol, mas de cinema e música.

Quem é José Luiz?

Profissional dedicado, exigente e obstinado pela excelência do seu trabalho

Sobre a família.

José Luiz – ​Sou casado com Simone e tenho dois filhos, Felippe e Bruna. Se existe presente melhor que Deus poderia me dar, ainda não deu.

Marco Iack – Sou casado, há 24 anos, temos um casal de filhos, Caio de 19 e Bárbara de 17. Não somos de Campos, mas não nos vemos morando em outro lugar atualmente, adotei a cidade.

Nas horas vagas.

José Luiz –  Gosto de jogar tênis e pescar.

Marco Iack – Livros, cinema, filmes e séries.

BATE-BOLA: (Marco Iack)

– Não gosta quando… Os erros cometidos não são admitidos.
– Brasil – A corrupção e a hipocrisia na política atual me revoltam.
– Precisa mudar – Nossa forma de pensar como nação; precisamos evoluir.
– Animal de estimação – Uma cadela da raça maltês.
– Time – Nunca tive muita paciência para futebol.
– Melhor amiga(o) – Meu irmão, Charles, com quem posso contar sempre.
– Adora quando… As pessoas estão contentes, gosto de ver “cara alegre”, sorridente.
– Fica sem graça com – Qualquer tipo de exposição me deixa sem graça.
– Maior incentivo – Meus filhos. Para eles quero deixar algo mais conceitual.
– Lembrança boa – Época em que morava em São José de Ubá, até os 14 anos.
– Tem preguiça de… Academia.
– Campos – Cidade que escolhi para fazer minha vida.
– Estilo de música – Rock e blues
– Deprimente – A desvalorização da vida. Nós não valemos um celular, a violência está em níveis extremos.
– Fato que marcou – O nascimento dos meus filhos.
– Saudades – Dos meus pais.
– Programa de final de semana preferido – Montanhas; adoro Lumiar.
– Livro de cabeceira – Sonho Grande; me inspirou intensamente.
– 2018 – Estamos focados no desenvolvimento da empresa.
– Viagem por fazer – França. Vamos visitar uma filha francesa que tivemos a oportunidade de receber em nossa casa aqui em Campos por sete meses.
– Maior sofrimento – A despedida da minha mãe.
– Religião – Católico
– Deus – É quem nos guia e nos mantém na direção certa, nos torna pessoas melhores e mais tolerantes com o próximo.
– Deixe uma mensagem: Eu realmente acredito que nosso país possa se tornar uma grande nação, com pessoas educadas, cultas, sem a necessidade de dar o famoso “jeitinho brasileiro” para sobreviver. Temos de acreditar em nós mesmos.​

Bate​-bola​:​ ​ (José Luiz Kury)​

– Não gosta quando… Tentam me obrigar a fazer aquilo que acho que não está certo.
– Brasil – O caos.
– Precisa mudar – A maneira como tratamos o próximo.
– Animal de estimação – Cachorro.
– Time – Botafogo.
– Melhor amiga(o) – Minha esposa Simone.
– Estilo musical – MPB, Sertanejo raiz.
– Adora quando... Sento à mesa com minha família toda junta.
– Fica sem graça com – Elogios.
– Maior incentivo – Pensar nos meus filhos.
– Lembrança boa – Os nascimentos dos meus filhos.
– Tem preguiça de – Fazer musculação.
– Campos – Minha escolha.
– Deprimente – Ver o que o executivo, o legislativo e o judiciário fizeram com o Brasil.
– Fato que marcou – O dia do meu casamento.
– Saudades – Dos meus pais.
– Programa de final de semana preferido – Pescar, jogar tênis e curtir o aconchego do lar.
– Livro de cabeceira – Atualmente “O monge e o executivo”.
– 2018 – Esperanças.
– Viagem por fazer – Roatan (Honduras) com minha família.
– Maior sofrimento – A perda dos meus pais.
– Religião – Católica.
– Deus – Minha fé, meu esteio.
– Deixe uma mensagem: “Precisamos desenvolver o espírito de cidadania; só assim seremos uma sociedade organizada e caminharemos para uma vida melhor”. 🙂

Fotos: Fernando Cerqueira

Designer: Aldir Mata

Vania Carvalho

Escrito por Vania Carvalho

Campista, caçula de uma família de 9 filhos, casada há 23 anos com o advogado Ralph Pessanha e mãe de Bianca e Bruno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *