Entrevista da Semana

Folha Estilo

Dr. Everaldo Baptista Monteiro – Advogado

Perfil:

– Qual a sua formação profissional? Advogado

– Faça um breve resumo da sua trajetória profissional. Iniciei como funcionário de escritório, fui para o Banco do Brasil, onde exerci todos os cargos, culminando como Gerente Geral de Agências por 10 anos. Simultaneamente, exerci as funções de Advogado que mesmo depois de aposentado do Banco, continuo advogando até hoje.

– Fale sobre sua área de atuação.  Como Advogado, milito na área empresarial, principalmente em Macaé.

– Defina seu momento profissional atual. Já em fase de encerramento, devido a idade, 78 anos.

– Fale um pouco sobre a sua família. Sou Casado com Da. Vera Lucia Dangelo Monteiro, tenho dois filhos:  Luciana e Everaldo Filho, duas netas:  Alice e Natália. Levo uma vida normal, sem ostentação, mas muito feliz.

– Quem é Everaldo? Uma pessoa bem relacionada, de fácil trato, que vive em função da família, mirando sempre o amanhã e com boas idéias.

– O que faz nas horas vagas? Fico com a família porque tudo que faço é com ela.

Bate-bola:

– Não perdoa quem  –  Mente
– Como gosta de dormir  –  De lado
– Comida preferida  – Filé com batata frita
– Estilo de vida   –   Modesta
– Hora de parar    –   Nunca
– Decepcionante   –   Falsidade
– Doce que não resite  –  Bombocado
– Não dorme sem  –   Jantar
– Tira você do sério  – Caipira despachado
– O que pensa de si   –  Sou extremamente  focado nos meus objetivos e tenho uma vida  sempre voltada para um determinado assunto que é a bola da vez.
– Amigos…  Aquele ou aquela que podemos contar a toda hora, que está sempre presente e serve sem nada pedir
– Gente que faz  –   É aquele que vive uma vida normal mas nunca se esquece do próximo.
– Animal de estimação –   A cachorrinha Madona
– Palavra que não sai da sua boca   –   Servir
– Paixão por…  Filhos e netas
– Vício   –    Não tenho
– Adoraria conhecer   –    O pensamento das outras pessoas
– Gostaria de ser por um dia   –    Piloto de avião
– Local ideal para relaxar   –    Lagoa de Cima
– Música boa   –   Música popular Brasileira
– Pecado   –    Não sei porque não me julgo
– Religião  –    Católica
– Deus       –     Está dentro de mim em todas as ocasiões
– Deixe uma mensagem:   Tão bom se as pessoas tivessem a audácia dos maus e vivessem sem ter vergonha de ser honesta.

Designer: Aldir Mata

Fotos: Fernando Cerqueira e arquivo do entrevistado

Entrevista da Semana

Entrevista da semana

Eliana Mancini – Fonoaudióloga

Perfil:

Qual a sua formação profissional? Me formei em fonoaudiologia no ano de 1981 no Centro da Terapia da Palavra Henry Dunant, no Rio de Janeiro. Posteriormente me especializei em otoneurologia, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Quando retornei para Campos tive a oportunidade de trabalhar com o doutor Irineu Dias, que me trouxe bastante experiência e conhecimento na área referente ao Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH); foi quando passei a participar de diversos cursos sobre o tema. Então me especializei em audiologia, trabalhando com diversas marcas de aparelhos auditivos e cursando os treinamentos oferecidos.

– Fale um pouco sobre a sua trajetória profissional. Escolhi fazer fonoaudiologia por sugestão do meu cunhado, Magid Abud, que, sendo otorrinolaringologista, viu em mim o perfil e vocação para exercer a profissão. Então, como em Campos não existia faculdade que oferecesse o curso, me mudei para o Rio de Janeiro, onde me formei e me especializei. Minha primeira experiência profissional foi no hospital da UFRJ e no hospital São Francisco, no Rio de Janeiro. Em seguida, retornei para Campos, onde passei a atuar em consultório próprio. Sempre gostei de trabalhar com terapia de voz e crianças, mas, por ter trabalhando ao meu lado um otorrinolaringologista, acabei enxergando a necessidade de aperfeiçoar meus conhecimentos na audiologia. Desde então trabalhei em diversos centros auditivos, até que tive a oportunidade de unir minhas duas paixões em um só lugar: a SONORIS, minha própria clínica, totalmente adaptada e preparada para atender tanto pacientes com problemas auditivos, quanto aqueles que buscam terapia por outros motivos.

Fale um pouco sobre a Sonoris. A SONORIS, por se tratar de uma clínica (e não apenas de um ponto de venda de aparelhos auditivos), presta serviços de fonoaudiologia em todos os seus ramos, o que significa realização de sessões de terapia, consultas e acompanhamento. Além disso, também realizamos testes de triagem auditiva e, trabalhamos exclusivamente com os aparelhos Phonak, uma das melhores marcas de aparelho auditivo do mundo, com 70 anos de mercado, onde o paciente poderá adquirir um aparelho seguro e moderno, adequado para o seu caso específico, sem, necessariamente, pagar a mais por isso. A sala de atendimento é um dos nossos diferenciais. O espaço é bem amplo, permitindo que o paciente seja consultado com conforto e segurança. Muitas vezes, na consulta inicial, o paciente deseja estar acompanhado por filhos, noras, genros ou sobrinhos, etc. Então nós conseguimos acomodar confortavelmente até quatro pessoas. Porém nosso grande e incrível diferencial, que nos torna únicos na região, é a sala acústica totalmente tratada, que dispensa o uso de cabines auditivas para a realização da audiometria. Isso significa que o paciente irá ter seu exame realizado exatamente no local que foi acomodado ao entrar na sala de consulta, sem necessidade de cabine auditiva ou qualquer outro espaço fechado.

– Como atua um Fonoaudiólogo? O fonoaudiólogo trata de toda a parte de comunicação, incluindo a oral e a escrita, além do funcionamento de determinadas funções como deglutição, mastigação e respiração. Nos casos da perda auditiva, o fonoaudiólogo é um dos profissionais habilitados para realização do exame de triagem auditiva (audiometria) e o único profissional capacitado para identificar, de acordo com a perda, o aparelho auditivo adequado ao paciente. Da mesma forma, apenas o fonoaudiólogo pode realizar a consulta de manutenção do aparelho auditivo, verificar as queixas do paciente e solucioná-las. No tratamento de pessoas com necessidades especiais ou de crianças, o fonoaudiólogo irá realizar a terapia necessária para auxiliar o paciente a alcançar o seu potencial máximo, auxiliando na comunicação, deglutição e respiração.

– Existe alguma indicação para a procura de um Fonoaudiólogo?  Sim. O fonoaudiólogo deve ser procurado sempre que houver sinais de que algo está errado nas áreas referentes à comunicação, fala, audição, deglutição e até mesmo respiração. Profissionais que trabalham utilizando muito a voz, como professores, por exemplo, devem ficar atentos caso percebam falhas na fala ou rouquidão. Quando a queixa é de perda da audição ou zumbido, o paciente poderá chegar até o fonoaudiólogo encaminhado por um otorrinolaringologista ou espontaneamente. O fonoaudiólogo pode fazer exames e verificar o tipo de perda auditiva, indicando o aparelho adequado para a correção.

– Como faz para equilibrar o trabalho e a vida pessoal? Organizo meus horários para que tenha algumas horas durante a semana com a minha família. Em casa, fazemos questão de fazer as refeições juntos, então, sempre que posso vou em casa para almoçar. Quando não estou trabalhando, gosto de reunir minha família para cozinhar e conversar. Também, não abro mão de estar sempre em contato com minhas amigas, muitas até da época de escola. Quando a clínica foi inaugurada, algumas vieram conhecer e sempre que acontece de ter um horário vago entre um atendimento e outro recebo visitas delas para, pelo menos, um lanche rápido.

– Quem é Eliana? Eu sou uma pessoa muito tranquila. Gosto de pensar que uma das minhas maiores qualidades é saber me manter calma mesmo em situações complicadas. Tenho muita paciência e prazer em tratar de idosos e crianças. Gosto de ver que faço a diferença na vida das pessoas e vibro muito com a evolução e conquistas dos meus pacientes. Atualmente me vejo muito realizada na vida profissional.  Na vida pessoal, sou casada há 30 anos com Ricardo, acredito que seja uma boa esposa e me orgulho muito de tudo que construímos juntos. Também me considero uma boa mãe para minhas duas filhas, Aryta e Lygia e uma ótima sogra para meus genros, Paulo e Vinícius, que são como filhos para mim. Porém, desde outubro de 2017, descobri a minha melhor versão: avó. Sou apaixonada pelo meu neto Benjamin. Ser avó foi uma das melhores coisas que já me aconteceram.

– Fale sobre a sua família. Minha família sempre soube da importância do meu trabalho para mim. Meu marido, Ricardo Salim, está ao meu lado há 30 anos, me apoiando e dando suporte incondicional. Foi um dos primeiros a me apoiar quando recebi a proposta para integrar o time da Sonoris, com a realização da Sonoris Campos. Minhas filhas, desde pequenas, dizem sentir orgulho da mãe e ambas escolheram trabalhar e lutar por seus objetivos, sem que isso atrapalhe suas vidas familiares. Hoje, minha filha mais velha, Aryta, trabalha comigo na Sonoris, e é quem resolve toda a parte administrativa e burocrática da clínica. Já minha filha mais nova, escolheu uma profissão muito semelhante a minha, e é uma excelente médica otorrinolaringologista, onde podemos conversar e trocar experiências profissionais. Além disso, encontro muita motivação na alegria do meu neto Benjamin, que me faz querer ser sempre melhor e um bom exemplo para ele, trazendo isso para minha vida profissional e meus pacientes.

– O que costuma fazer nas horas de folga? Meus momentos de folga aproveito com minha família, especialmente com meu neto. Eu também adoro ver filmes e séries. Sou uma pessoa que prefere não sair muito, gosto de ficar aproveitando minha casa e descansando.

Eventualmente, saio com amigas para um café ou cinema. No verão, adoro curtir o sol passando um tempo na piscina, ou indo para a praia, quando viajamos. Também aproveito a família reunida e meus momentos de folga para cozinhar o que a gente mais gosta. Fazemos noites com comida japonesa, risoto ou comida árabe.

Bate-bola:

O que te irrita: incompreensão

Não consegue mudar: Gostar de acordar muito cedo

Melhor amigo (a): Minhas filhas, Aryta e Lygia

Elegante: Ser feliz

Sorte é… poder ver meu neto, Benjamin, todos os dias

Esporte que pratica: Pilates

Seu estilo de vida: Prática

Comida que gosta e sabe fazer:  Comida árabe

Nome bonito: Aryta, que também era o nome da minha mãe
Te assusta: Violência

Maior mico que já pagou: Sou propensa a quedas. Já levei muitos tombos por aí, rs

Não sai de casa sem: Brinco

Seu momento atual é de… Trabalhar muito e curtir meu neto

Saudades de: Ter meus pais e meus sogros comigo

Não gosta de: Leite

Brasil: Incerteza

Política: Se empregada corretamente, poderia ser a solução do nosso país

Dinheiro: Necessário, mas não é tudo

Felicidade é: Estar em família

Motivo de vergonha: Notícias de violência no Brasil veiculadas no exterior

Religião: Católica

Família: Minha base

Deus: Uma certeza

Deixe uma mensagem: Acredito que tudo feito com amor tem como resultado o sucesso. Por isso, coloque amor em tudo que faz.

Designer: Aldir Mata

Fotos: Fernando Cerqueira

Entrevista da Semana

Entrevista da semana

Dr. Rafael Chácar – Cardiologista

Perfil:

– Qual a sua formação profissional? Médico formado na Faculdade de Medicina de Campos (FMC); Residência em Clínica Médica pelo Hospital Escola Álvaro Alvim; Residência em Cardiologia pelo Instituto D’or de Ensino e Pesquisas; Residência em Ergometria/ Ergoespirometria e Reabilitação Cardíaca pelo Instituto Nacional de Cardiologia -RJ.

– Faça um, breve resumo da sua trajetória profissional. Nascido e criado na terra goitacá, sempre tive a vontade de aprender ao máximo minha vocação e trazer com meus conhecimentos novos horizontes para a medicina da nossa cidade. Assim que tive meu retorno definitivo, firmei minhas áreas de atuação dentro da Cardiologia clínica, montando o serviço de Reabilitação Cardíaca (REABILICOR), assim como reimplementando a realização do Teste Cardiopulmonar, áreas nas quais sou especialista.

– Você teve alguma influência na escolha da profissão? Certamente meus irmãos Carlos André e Louise Therese Chácar foram meus horizontes.

– Por que ser cardiologista? Meu grande avô Alcemir era cardiopata grave, passou por cirurgias do coração e lutou muito durante a vida, cumprindo sua missão aqui na Terra; pensei que poderia seguir na missão de buscar salvar vidas de pessoas como a do meu avô.

– Atualmente, quais as vantagens e desvantagens de ser médico? Procuro exercer minha profissão como um verdadeiro sacerdócio, e faço isso de maneira muito feliz; assim, não consigo enxergar desvantagens em fazer algo que amo! Ainda assim, a medicina me possibilita um grande sonho que é ser Professor da FMC e contribuir de forma singela para a formação de novos médicos.

– Como anda o mercado de trabalho para o médico? Passamos por uma grande crise nacional, temos que ter confiança e inteligência para driblarmos as dificuldades e procurar nosso espaço.

– O que diria para os que estão começando? A medicina é uma arte, algo que você deve ter verdadeira vocação para seguir seus caminhos. Para quem realmente deseja ser médico de verdade, sempre haverá um espaço.

– Quem é Rafael? Pergunta difícil, mas vamos lá: acho que sou um cara vindo de família humilde, que busca na perseverança tentar mudar um pouco o mundo a minha volta.

– Fale sobre a sua família. Tenho dois pais maravilhosos Sr Zeno e Dona Fátima, dois irmãos que são meus grandes amigos Carlos André e Louise. Há cinco anos ganhei um companheirinho, Arthur, filho do meu irmão com a Dra Elazi. Uma família muito bacana!!! O coração é ocupado pela minha gatinha Luísa Barros.

Bate-bola:

– Te assusta: ganância
– Vencedor: eu acrescentaria “es”, pois meus pais são vencedores.
– Pretende conquistar: cada vez mais a amizade e confiança das pessoas
– Time: flamenguista de corpo e alma
– Bebida preferida: Whisky e tenho apreciado cervejas artesanais
– Animal que admira: meus cachorros
– Filme que recomenda: sem dúvida: Amor sem fronteiras
– Livro que está lendo: O Vendedor de Sonhos
– Sua maior qualidade: deixo para quem me conhece responder
– Seu maior defeito: ser explosivo
– Esporte que pratica: corrida de rua e futebol com os amigos
– Mudaria em você: ser mais paciente
– Intolerância: igualdade sempre! Não importa cor e sexo pois somos todos iguais perante de Deus.
– Se arrepende de… sempre acho que posso fazer mais
– Estilo musical: estou em uma vibe mais eclética

– Medo: do próprio homem
– Palavra preferida: Coração
– Sucesso é… ser feliz fazendo tudo que gosta com honestidade e tranquilidade
– Outra profissão que gostaria de ter: Professor de História
– Detesta: soberba
– Campos: mudança de mentalidade provinciana urgente!
– Saudades de… todos que não estão fisicamente aqui, em especial da minha mãe-avó Maria de Lourdes

– Não acredita: desistir facilmente
– Adora nas pessoas: humildade e parceria
– Religião: Católica
– Deus: nossa base
– Deixe uma mensagem – Viver um dia de cada vez sabendo que o melhor ainda sempre está por vir; saber “apontar pra fé e remar” que sempre iremos conseguir nossos objetivos. Um forte abraço para todos amigos e para minha família que tanto amo!

Fotos: Arquivo do entrevistado e Ricardo Bueno

Designer: Aldir Mata

Entrevista da Semana

Entrevista da semana na Folha Estilo

Ana Luiza Ferraz Viana – Nutricionista Materno Infantil

PERFIL:

– Qual a sua formação profissional? Sou formada em Nutrição, com pós graduação em Nutrição Materno Infantil (atendimento da concepção à adolescência) pelo IPGS e faço atualmente pós graduação em Nutrição Clínica Funcional pela VP Consultoria.

– Em que momento a nutrição entrou na sua vida? Desde a infância, quando fui pela primeira vez a uma nutricionista; a minha mãe se preocupava com essa área. Além disso, todas as vezes que ia à pediatra e ela perguntava e falava alguns itens de alimentação era minha parte preferida. Por um tempo acreditei que gostaria de me tornar pediatra, mas depois entendi que a única parte que gostava de falar sobre a criança era a alimentação. Não tenho o dom de lidar diretamente com a doença, e me sinto muito realizada ao trabalhar com a parte da saúde que atua de forma preventiva, criando hábitos e não precisando refazê-los. Durante a adolescência a nutrição aparecia em meus testes vocacionais, e assim que abriu a primeira turma em Campos pedi permissão aos meus pais para fazer a faculdade mesmo estando cursando o 2º ano do ensino médio. Entrei na faculdade com 16 anos, determinada no que queria. Precisei inclusive de autorização judicial, o que consegui com a ajuda de Tio Ralph, seu marido.

– Fale sobre a área escolhida para atuação. A área materno infantil só cresce com o tempo; no mundo, no Brasil e na cidade. Minha vontade é que tenhamos cada vez mais profissionais capacitados e mais famílias sendo alcançadas. Seria ótimo se todos soubessem a diferença que a nutrição adequada desde a gestação (e até mesmo antes, com qualidade do óvulo e sêmen) faz na vida; diferença esta que vai dos primeiros anos até a vida adulta. Muitas doenças podem ser prevenidas desde a gestação, pois algumas pré disposições podem ser formadas nesse período e possuem impactam a curto e longo prazo. A forma como vivemos hoje, nossos hábitos de alimentação…, tudo isso influencia em nossa saúde e na fertilidade; há casais que possuem essa dificuldade e a má nutrição pode ser um dos muitos fatores que interferem. Durante a gestação, a epigenética (que são os fatores ambientais influenciando na genética) pode interferir em toda vida dessa criança. Os 2 primeiros anos são essenciais para formação de hábitos alimentares. Nossa relação com o alimento começa ainda no útero, quando o bebê ingere o líquido amniótico e sente o gosto do que a mãe consome; essa relação se estende para quando nasce e até mesmo quando, ainda na maternidade, todos comem ao seu redor. O sabor dos alimentos está no leite materno e são fundamentais os primeiros reais contatos físicos da relação alimentar. Nós comemos todos os dias, o dia inteiro; se essa relação não for saudável ela pode afetar muitas outras áreas da vida.

– Existe um momento específico para procurar o nutricionista? O melhor momento para procurar um nutricionista materno infantil é antes da gestação, pois podemos mudar hábitos e fazer a programação metabólica da gestação, potencializando ao máximo o desenvolvimento do futuro bebê. Mas caso isso não tenha sido feito, podemos procurar na gestação para uma alimentação equilibrada, ou próximo ao parto, para aprender sobre amamentação, ou ainda na introdução alimentar da criança. Por fim, o nutricionista pode e deve ser procurado em qualquer momento que houver necessidade.

– Qual o seu maior desafio como nutricionista? Acho que meu maior desafio como nutricionista é separar a Ana Luiza nutricionista da Ana Luiza que as pessoas não conhecem como nutricionista, e separar as duas da relação com os amigos e familiares… porque eu sempre me pego falando da nutrição, e como eu amo minha área (porque sempre amei criança e maternidade), me pego em todos os lugares falando disso às vezes. Sempre tem aquela mãe que me conhece e que dá um jeitinho de chegar até mim e tirar alguma dúvida. Quando chego a algum lugar eu já olho quem são os menores que estão ali e me deixo encantar por sua pureza e sinceridade.

– Como administra o seu dia a dia? 
Minha rotina é sempre diferente em cada dia, mas consigo ser organizada. Tenho um planner onde sempre anoto todas as atividades do mês em um calendário, e durante as semanas tenho uma rotina para cada dia. Por ser profissional autônoma, consigo trabalhar em mais de um lugar. Consigo dividir o consultório, o hospital com terapia nutricional, os pacientes domiciliares de home care e as escolas nas quais trabalho. Toda semana também tenho algum Workshop à noite com mães.

– Quem é Ana Luíza? Me considero uma pessoa essencialmente sonhadora, empática, com muito receio de machucar quem está próximo de mim; sou muito fiel às minhas poucas e verdadeiras amizades; busco tratar todo mundo que convivo com igualdade e tento, quando me surpreendo julgando a atitude do outro, me lembrar que tenho os meus erros e não tenho que medir alguém.

– Fale sobre sua família. Minha família é uma grande família onde o convívio diário ultrapassa a estrutura familiar padrão de pai, mãe e irmão. Convivemos diariamente avó, tios e primos. Isso é muito bom e me faz ter vontade de construir uma família grande também. Namoro há 7 anos, de forma que existe outra família que hoje já considero minha; participaram de muitas etapas da minha vida.

– O que faz nos momentos de folga? Nos momentos de descanso em casa sempre ouço música, vejo filme e conteúdos que gosto no youtube. Faço muita coisa com meu noivo; gosto de sair para restaurante, passear com a nossa cachorra e viajar. Temos amigos em comum e fazemos muitos programas juntos.

BATE-BOLA: 

 
– Não curte – Sentir calor
– Mania – Mexer no cabelo
– Som agradável – Cachoeira
– Futuro – Me casar e construir a minha família 
– Abominável – Maus tratos e abuso de crianças e animais
– Adorável – Empatia
– Miserável – Soberba
– Não faria em você – Tatuagem grande
– Exemplo admirável  – Jesus
– Irresistível – Ter uma viagem com meu noivo
– Doce preferido – Brigadeiro
– Cor preferida – Azul
– Parabéns – Para todas as pessoas que lutam em prol de causas
– Bebida – Suco de laranja
– Alimento preferido – Brócolis
– Maior sofrimento – Perder alguém 
– Se não fosse nutricionista seria… teria uma floricultura
– Dia ou noite – Dia
– O que mais te incomoda nas pessoas – Maldade
– Prato predileto – Macarrão com molho branco
– Palavra que não sai da sua boca – “Entendeu?”
– Detesta – Passar mal
– Religião – Evangélica
– Deus – Só Ele é Deus
– Deixe uma mensagem:. “Tenha sempre bons pensamentos porque os seus pensamentos se transformam em suas palavras. Tenha boas palavras porque as suas palavras se transformam em suas ações. Tenha boas ações porque as suas ações se transformam em seus hábitos. Tenha bons hábitos porque os seus hábitos se transformam em seus valores.

Tenha bons valores  porque os seus valores se transformam no seu próprio destino.”
(Mahatma Ghandi)

 

 Designer: Aldir Mata

Entrevista da Semana

Entrevista da semana

Marco Antonio Castro e Marcos Barbosa Carvalho (Proprietários da VIIU)

Qual a sua formação profissional.
Marco Antonio Castro Souza – Sou Tecnólogo com experiência em gerenciamento de contratos.
Marcos Barbosa Carvalho – Servidor Público e Empresário. Sou formado em Direito pela FDC e pós-graduado em Direito do Trabalho pela mesma instituição.

Qual a sua área de atuação? 
Marco Antonio Castro – Administração de condomínios e síndico profissional. As funções são complementares. Enquanto a administração cuida da parte burocrática, ao síndico cabe o gerenciamento.
Marcos Barbosa – Atuo como servidor público federal do TRT-RJ.

Por que escolheram ser empresários?
Marco Antonio Castro – Proporcionar um serviço de qualidade, com transparência e imparcialidade. Há anos falamos em abrir essa empresa e por fim, resolvemos colocar essa ideia em ação. A Viiu foi toda planejada e idealizada para atender o condômino de forma eficaz e eficiente. A gente acredita que um condomínio tem que ser um ambiente funcional, harmonioso e com orçamento equilibrado.
Marcos Barbosa – Resolvemos “mergulhar” na Viiu pois sentimos na pele a ausência de empresas que vão além de uma simples administração, concretizando projetos e solucionando os problemas comuns aos condomínios. Por ser organizado sempre atuei como síndico nos meus apartamentos, agregando conhecimento e expertise nesse ramo de trabalho. Bem verdade que estudo e aprimoramento somatizaram na solidez e desenvolvimento dos trabalhos afetos aos condomínios.

Como administra o seu dia a dia? 
Marco Antonio Castro – Já as 6:00h acordo e me divido entre trabalho, reuniões e minha filha. Acho que é importante esses momentos com os filhos. São coisas que ficam pra sempre.

Fale sobre a sua família.
Marco Antonio Castro – Sou casado há 11 anos e tenho uma filha de 3, Rafaela. Além delas, tenho também minha mãe.
Marcos Barbosa – Casado com Ana Carolina Chatel Cunha. Não temos filhos. Tenho irmão gêmeo Marcelo Barbosa Carvalho.

O que faz nas horas vagas? 
Marco Antonio Castro – Gosto de passear e brincar com minha filha, e sair com amigos e família.
Marcos Barbosa – Nas horas vagas, junto com a esposa, vou fazer stand up ou kitesurf. Também jogo futebol com os amigos aos sábados.

Bate-bola: (Marco Antônio Castro) 

Abomina: preconceito
Time: Fluminense
Uma conquista: a Viiu
O que te faz rir: minha filha
Miséria: um sofrimento
Momento profissional: momento de empreendedorismo e determinação.
Não perdoa: intolerância
O que mudaria em você: minha agitação
Qual o seu lema: “sempre em frente”
Felicidade: família
Família: minha vida
Hobby: viajar e ver filmes
Pessoa importante: minha mãe
Mulher bonita: minha esposa e Paola Oliveira
Livro de cabeceira: nada easy
Religião: católica
Deus: Vida
Deixe uma mensagem: com o mínimo que possamos fazer pelo próximo podemos mudar a vida das pessoas a nossa volta e crescermos como seres humanos.

Bate-bola: (Marcos Barbosa Carvalho) 

Time – Torço para o Flamengo
Filme – Um sonho de Liberdade
Livro – Bíblia
Religião – Católico
Família – Carinho
Músico  – Chet Faker
Deus – Natureza em movimento
O que te faz rir – Meus sobrinhos me fazem rir
Pessoa importante –  meu irmão gêmeo Marcelo Barbosa Carvalho
Mulher bonita – Lúcia Chatel
Felicidade – é concretizar os projetos
Mensagem – Como mensagem deixo o desejo verdadeiro de que, independente das desventuras, possamos manter SEMPRE a esperança na realização dos objetivos.

Designer: Aldir Mata