Entrevista da Semana

Entrevista da semana na Folha Estilo

Paulo Kássel Lopes Pessanha – Diretor Industrial  da Cerâmica São José Telhas

Perfil:

– Qual a sua formação profissional? Me formei em Administração pelo Isecensa em 2009, depois fiz MBA em Gestão Empresarial na FGV em 2011, que foi complementado com um Módulo Internacional em Gestão de Negócios com ênfase na União Européia, realizado em Lisboa, no mesmo ano.
Sou Diretor Industrial da Cerâmica São José Telhas desde 2012, onde buscamos sempre fornecer ao mercado produtos de qualidade que atendam às normas técnicas vigentes. Sempre participo dos encontros nacionais da ANICER (Associação Nacional das Indústrias de Cerâmica Vermelha) para atualizar conceitos e rever processos, evento esse que é o principal na agenda do nosso setor no âmbito nacional.

– Por que escolheu ser empresário? Teve influência de alguém? Eu acredito que ser empresário está diretamente ligado a aptidão. Por mais que possamos ter acesso a novos conhecimentos, e estejamos sempre buscando evoluir em determinadas situações, é necessário ter um pouco de genética envolvida; penso que a pessoa nasce com algum dom, e devemos estimulá-lo ao longo da vida para obtermos melhores resultados, mas a forma como recebemos a nossa criação e como moldamos o nosso pensamento desde criança irá impactar significativamente o nosso futuro.
Tive influência direta da família, o meu avô foi um dos primeiros ceramistas da região, meu pai deu início à Cerâmica São José Telhas há 33 anos. Então sempre estive envolvido com o setor, desde quando era algo meramente voltado ao lazer, sem compromisso, até se tornar essencialmente profissional, como nos dias de hoje.

– Fale um pouco de como é a sua atuação junto a empresa. Como disse, sou Diretor Industrial desde 2012, desse tempo até agora passei, e ainda passo, por períodos de constante amadurecimento, onde conseguimos aplicar novas técnicas de gestão de processos que colocaram nossa empresa em outro patamar. Estabeleci como missão da empresa oferecer produtos de extrema qualidade, que atendam às normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) utilizando processos que respeitem principalmente o meio ambiente, os nossos colaborares internos e a sociedade na qual estamos inseridos, o que nos leva a ter uma produção sustentável.
O setor da indústria de transformação é um dos mais complexos de nosso país, pois temos responsabilidades que vão desde a mineração, passando por todo processo produtivo e comercialização, finalizando num pós venda eficaz, que atenda as expectativas de nossos clientes.

– Como tem sido administrar uma empresa nos tempos atuais? Sem dúvida nenhuma o Brasil não é para amadores! Esse tempo de crise em que vivemos serviu para testar nossos métodos de gestão, e o maior ganho talvez tenha sido aprender a fazer mais com menos.
Muitas vezes, quando estamos passando pelo chamado “oceano azul”, períodos de bonança onde tudo está sob controle, não nos atentamos em ser cada vez mais eficientes, corrigir gargalos e reduzir custos, esse cenário atual nos obrigou a agir assim, e com isso acredito que tenhamos uma grande lição e um grande aprendizado para o nosso futuro. Focar em qualidade e na satisfação dos clientes é a receita para a longevidade dos negócios.

Você vê perspectiva de mudanças positivas? Mesmo com toda a instabilidade que vivemos, devemos ser positivos e tentar encontrar nosso equilíbrio pessoal e profissional. Nosso país tem um grande potencial, aprendemos a conviver com dificuldades e mesmo assim continuamos produzindo. Precisamos de políticos honestos e sensatos, que planejem nosso futuro, quando conseguirmos isso nos tornaremos uma potência mundial.

– Fale um pouco sobre a sua família. Venho de uma família tradicional estabelecida na baixada campista, onde honrar o nosso nome é o maior valor que nos foi passado. Vou me casar em setembro deste ano, ainda não tenho filhos.

– Quem é Paulo? Sou um homem de 29 anos que já passou por diversos momentos em sua vida, sempre tentando amadurecer com os problemas e aproveitando ao máximo os momentos de alegria… tenho muitos sonhos e muitos objetivos de vida, já alcancei alguns e me dedico para alcançar os demais. Dou muito valor a minha família e aos meus amigos, pois eles são o nosso verdadeiro suporte, sem eles perdemos a nossa essência e vivemos de forma vazia.
 
– O que faz nos momentos de folga? Sou uma pessoa bem tranquila. Gosto de sair com os amigos, ir a praia, mas também curto ficar em casa, assistir um filme, um documentário, sempre na companhia do meu amor, a Patrícia.

 

Bate-bola:

– Te deixa feliz –  Determinação

– Time – Flamengo

– O que gosta de ler – Jornais, revistas, sites e livros de economia

– Programa preferido para o final de semana – Existem diversas possibilidades, o que manda é a boa companhia

– Perfeito – A sensação de dever cumprido

– Não concorda – Fazer algo pela metade

– Pecado – Fazer mal a alguém

– Mentira – Traz energia negativa

– Não te convence – Alguém que finja se importar com os interesses coletivos para alcançar interesses próprios

– Como gosta de ser chamado – Pk

– Parceiro – Amigo para qualquer hora

– Te irrita – Hipocrisia e corrupção

– Estilo de música – Sou bem eclético, gosto de música de qualidade, que tenha uma boa letra ou uma boa melodia

– Animal de estimação – Meu cachorro Otto, um labrador de 9 anos

– Bebida preferida – Água

– Estilo de vida – Saudável e intenso

– Não perdoa quem… Não tem determinação

– Mulher elegante – Minha mãe, Lúcia

– Homem inteligente – Steve Jobs, deixou um legado imensurável

– Não dorme sem… Rezar antes

– Precisa conhecer – Camboja, Laos e Vietnã

– Brasil – Muitos defeitos e muitas qualidades

– Religião – Católico

– Deus – Acima de tudo e de todos.

– Deixe uma mensagem: Tenha fé, acredite nos seus sonhos e se esforce ao máximo para alcançá-los, se ainda não alcançou é porque a sua hora ainda não chegou, mas não desista nunca!

 

Designer: Aldir Mata

Beleza

Como pintar as unhas sem borrar

É cada coisa bacana que a gente vê nessa Internet que cada vez mais dá vontade de ficar fazendo pesquisas e descobrindo mais sugestões maras.

Hoje vou falar de um truque bem legal para não fazer aquela bagunça na hora de pintar as unhas. Quem aí não fica irritada na hora de limpar em volta das unhas cheias de esmalte? Eu sei fazer e adoro cuidar das minhas. Sei cutilar e pintar, sabiam? Não é difícil, e para mim é bem prazeroso. Só que depois de pintar cansa um pouquinho ter que limpar :).

Mas chega de papo e vamos às dicas:
Antes do esmalte você pode passar em volta das unhas protetor labial, cola de papel, azeite ou vaselina. Qualquer um deles sempre com muito cuidado para não pegar na unha porque aí o esmalte não vai fixar. Se escolher a cola, espere que ela fique bem sequinha, pinte e puxe bem devagar para que ela não arrebente e você tenha que ficar futucando e marcar o esmalte. Se escolher os outros, é só deixar o esmalte secar bem e lavar as mãos com sabonete. A ideia é muito boa e os relatos são os melhores. A mulherada está feliz da vida com a economia de tempo e o efeito que isso dá. Economiza acetona ou removedor e não deixa a pele irritada (porque esfregar aquele algodão com o produto depois da unha sensível por ter sido cutilada, ninguém merece). Bom, esta foi a minha dica de hoje, espero que gostem.

Fotos: Divulgação

Entrevista da Semana

Entrevista da semana

Josi Oliveira – Gerente Geral de uma instituição financeira

– Qual a sua formação profissional? Formada em Matemática, MBA em Gestão Empresarial pela FGV, MBA Pleno pela universidade Ohio e MBA IN COMPANY no Insper SP (Foco mercado de luxo e investimentos).

– Fale sobre sua área de atuação. Atualmente estou gerente geral de uma agência bancária em campos, que tem como perfil clientes de alta renda.

– Trabalhar em uma instituição financeira te faz realizada profissionalmente? Sim, e muito! Ao longo dos 30 anos de carreira sempre procurei trabalhar com seriedade e respeito, sempre colocando o cliente no centro de tudo.

– O que diria para quem deseja seguir a carreira? Gostar de finanças, de pessoas, ter as certificações que o mercado financeiro exige e muito foco e disciplina na execução.

–  Consegue se imaginar em outra profissão? Atualmente não, mas quem sabe no futuro?

– Quem é Josi? Josi é positiva, gosta de desafios, não tem medo do novo e coloca muito amor em tudo o que faz.

– Sua família. Tenho duas filhas; uma já médica e a outra se forma no próximo ano. Amo estar com elas. Sempre tive na vida dos meus pais a referência de família.

– O que costuma fazer nos momentos de folga? Viajar, curtir minha família, praticar alguns hobbies (atividades ligadas à natureza).

Bate-bola:

– Chato – Engarrafamento
– Saudades de…tempo de infância na fazenda do meu avô.
– Final de semana – Família
– Te dá medo – Violência
– Não pode faltar na bolsa – Cartão de crédito
– Não combina com você – Acomodação
– Perda irreparável – Meu pai
– Comida predileta – Frutos do mar
– Dinheiro – Necessário
– Momento atual – Maturidade
– Mulher estilosa – Frida Khalo
– Mulher inteligente – Michelle Obama
– Lugar que adoraria conhecer –Tailandia
– Não admira – Ingratidão
– O que jamais faria em você – Deixar de me amar
– Não tem perdão – Não perdoar
– Ser feliz ou estar feliz – Estar feliz
– Absurdo – Desigualdade social
– Não te conquista quem… Mente
– Apelido carinhoso – Josi
– Indecente – Falta de amor ao próximo
– Religião – Cristã
– Deus – Base de tudo
– Deixe uma mensagem: “E tudo que não for leve, que o vente leve”! Cora Coralina

Designer: Aldir Mata